Pesquisar este blog

Carregando...
Para fazer download do mp3 clique com o botão direito do mouse sobre o link e escolha salvar.

Incerteza - Mario Persona

Incerteza - Mario Persona (mp3)
http://files.3minutos.net/evangelho/Incerteza-MPersona.mp3



https://youtu.be/ojKgfTjKEoA


Incerteza
Mario Persona

Há um hino muito interessante, que praticamente narra todo o plano de Deus, dizendo que o Seu Filho, Jesus, desceu do celeste lar, mostrou e declarou seu amor aos homens. Morreu numa cruz e fez expiação do pecado, trouxe perdão aos pecadores, ressurgiu da morte como vencedor e hoje está na glória, como nosso Senhor e Salvador, que vai voltar para levar os seus, e julgar os vivos e os mortos, e reinar eternamente sobre esta terra. Basicamente o assunto de hoje é este, e não podia ser outro: a pessoa de Cristo e Sua obra, que começa um pouco antes de Ele descer dos altos céus.

Existe um assunto bastante delicado, que muitos o evitam. Certa vez, um irmão que já está com o Senhor, me deu um conselho o qual eu não aceitei. Ele disse que alguém que prega o Evangelho nunca deveria falar da eleição; que Deus elege os Seus na eternidade passada (modo de falar, porque não existe eternidade presente, futura ou passada). Deus escolheu antes de todas as coisas existirem, aqueles que queria salvar. E este irmão falou na época, que este assunto é como “assunto de família, que você não comenta fora de casa”. Entretanto eu não penso assim, porque este é o plano de Deus; ele começa na eternidade. Não foi um acidente na história que Cristo veio morrer na cruz, ou um acaso que Ele salvou alguns e outros se perderão eternamente. Não! Deus já determinou tudo na eternidade, muito tempo antes do tempo existir!

Alguém pode me dizer: “Mas eu não entendo isso!”
E eu também não entendo.

Esta semana li uma notícia sobre pesquisas espaciais, os telescópios, o aumento do número de galáxias, etc. Agora os cientistas dizem que existem “zilhões” de galáxias e, cada vez que eles enviam um equipamento mais potente, tanto mais longe eles enxergam. Se nós pensarmos no tamanho do universo e que ninguém consegue chegar ao seu fim, como poderemos entender os planos de Deus? Não há condições! Mas eu posso crer, posso aceitar e posso acatar o que Deus diz.

A Bíblia nos fala de muitos assuntos importantes e hoje eu gostaria de trazer um aqui, porque muitas pessoas me escrevem e a maioria absoluta dos cristãos, daqueles que professam crer em Jesus, não sabe para onde vai.

Eu estava num avião semana passada, indo para Recife, e ao meu lado estava um jovem de 27 anos, casado, administrador de empresas. Conversando com ele sobre o Evangelho, descobri que ele foi criado numa família evangélica e cresceu na escola dominical. Então eu perguntei a ele:

— Se este avião cair agora, para onde você vai?
— Ah, eu acho que vou para o céu.
— Porque?
— Ah, porque eu procuro fazer o melhor possível para as pessoas, nunca faço o mal para ninguém, procuro ser uma pessoa correta, bla bla bla..

Nas três horas de voo, deu para conversar bastante sobre o Evangelho com ele. E uma coisa que acredito ser importante: eu pegava o versículo no meu celular, mostrava a ele e pedia para ele ler. E ele lia o versículo que dá certeza da salvação, certeza de vida eterna! Por que a maioria dos cristãos sabe quem é Jesus, viu o filme dos dez mandamentos, assistiu a novela, mas não sabe para onde vai. Não tem certeza alguma! Alguns aqui eu sei, vieram até de religiões cristãs, e não tinham essa certeza da salvação eterna.

Mas existe um detalhe que às vezes, encontramos nessas pessoas. Não são pessoas iradas contra Deus. Não são pessoas que blasfemam contra Ele. Não são ateus, agnósticos ou pessoas avessas ao Evangelho.

Já no voo de volta, eu vim sentado ao lado de uma jovem advogada, agnóstica, e quando eu falava sobre o Evangelho para ela, ela mudava completamente a expressão. Uma pessoa muito simpática, uma jovem de 22 anos, mas ao citar algo da Bíblia, descia uma névoa no olhar e eu percebia, como ela realmente, ficava incomodada.

Você fala da Bíblia e a pessoa diz que gosta da Bíblia, que tem uma aberta em casa, ela tem temor a Deus. Talvez você tenha esse temor, talvez você tenha reverência para com as coisas de Deus. Você não é uma pessoa que vai blasfemar contra Deus, ou tratá-Lo levianamente, ou fazer piadas. Não. Você é uma pessoa reverente. Você talvez tenha um amor por Deus e também pela Palavra de Deus. Você deve ter esse sentimento dentro de você e talvez você tenha o desejo de conhecer mais da Palavra de Deus e de Cristo Jesus.

Mas você não tem paz. Não tem certeza para onde vai. Você não tem segurança de vida eterna e você tem muitas dúvidas e acaba acreditando que ainda tem alguma coisa que você não fez e precisa fazer para “fechar o pacote” e, talvez você acredite, que nesta vida, você ainda terá que se esforçar muito para chegar lá.

O Salmo32 diz: “Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto. Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não imputa maldade, (ou seja, não conta como tendo maldade) e em cujo espírito não há engano.”
Agora eu te pergunto, você é uma pessoa que teve sua transgressão perdoada? É uma pessoa que tem certeza de seu pecado ter sido coberto? Você é uma pessoa que tem certeza que Deus não vai imputar ou atribuir a você, qualquer maldade? Você considera que no seu espírito, Deus não vai encontrar engano? Você pode dizer “sim; sim; sim” e checar todas essas perguntas, com um “sim”? Por que se você é essa pessoa, você é bem-aventurado, mas, caso contrário, você não é bem-aventurado, porque aqui diz “Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada”. Quando Deus fala na Bíblia! Ele tem promessas para o homem. E essas promessas são certezas para aqueles que creem.

Se eu te fizesse um convite e dissesse que gostaria de levá-lo para jantar, por exemplo, e eu fizesse questão de pagar, você deixaria a carteira em casa. Porque você teria sido convidado e acreditaria na minha palavra. Você não imaginaria que chegando lá, eu faria diferente daquilo que prometi. Todavia, eu sou uma pessoa falha, uma pessoa cheia de defeitos, uma pessoa que pode se esquecer de um convite ou qualquer outra coisa. Pode ser que meu cartão de crédito desse algum erro, ou não tivesse dinheiro suficiente para pagar. Poderia acontecer uma série de variáveis, mas, ainda assim, você deixaria a carteira em casa e iria me encontrar, porque você confia na palavra de um ser humano comum. Quanto mais na Palavra de Deus! Nesta, mais ainda, devemos confiar e crer!
O Senhor Jesus fala o que é vida eterna, numa definição em João 17: “E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só (aqui Ele está dirigindo-se ao Pai), por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste”.

Tudo começa aí. Será que você tem vida eterna?

No momento em que você é uma pessoa que teme a Deus e tem reverência para com Ele, O ama e gosta de ouvir as Suas coisas, e não muda o seu semblante se alguém fala um versículo pra você, provavelmente você é uma pessoa que tem a vida. E ter vida, é uma pessoa nascida de novo. Uma pessoa que ouviu a Palavra de Deus, e o Espírito Santo veio fazendo uma obra nessa pessoa e trazendo todos os desejos que não existiam no homem natural. Porque a Bíblia fala que “não há quem busque a Deus. Não há nenhum sequer”.

— Ah, mas espera aí, eu busco a Deus! Você pode argumentar.

Então, você talvez seja alguém como Cornélio, que buscava a Deus e queria saber mais dEle. Ele tinha temor a Deus. Mas o que tinha Cornélio de especial? Cornélio tinha vida. Mas ele ainda não tinha a certeza de seus pecados perdoados e nem do seu destino eterno. E talvez seja esta a sua condição. Você provavelmente tem vida, porque é somente com uma vida vinda de Deus que é possível um ser humano desejar a Deus. Caso contrário, ele não deseja. Nós somos, por natureza, pecadores e inimigos de Deus. Mas quando o Espírito Santo vem, e deposita a Palavra de Deus em seu coração e incute vida em você, você passa a sentir o peso de seu pecado, e sente que existe um juízo sobre você, uma espada pendurada sobre sua cabeça, e você quer ser salvo, quer urgentemente ter a certeza da salvação.

O primeiro milagre registrado na Bíblia, que o Senhor Jesus fez, foi transformar água em vinho, que é uma figura do novo nascimento. A água na Bíblia representa, a Palavra de Deus. Nas bodas de Caná na Galileia, quando se acabou o vinho da festa, e vieram todos conversar com Maria, mãe de Jesus, preocupados com isso, ela primeiramente, conversa com Ele, e depois fala aos servos “façam tudo o que ele mandar”. E Jesus manda encher de água as grandes talhas e a água é transformada em vinho.
Esse primeiro milagre que Ele fez em Seu ministério aqui na Terra, é o primeiro milagre que Ele faz na vida de uma pessoa. E se você tem vida agora, se você tem todos esses sentimentos que eu descrevi aqui, provavelmente o Espírito Santo fez a Palavra de Deus, que um dia você escutou em algum lugar, ser transformada em vida. Porque o vinho é um símbolo de sangue, e sangue é vida. E vinho é também um símbolo de alegria; o vinho alegra o coração do homem, fala uma passagem da Bíblia.

Nos versículos, mais a frente, vamos além, falar da vida eterna, que é aquela que Deus quer dar para que as pessoas conheçam realmente quem é Deus, e quem é Jesus Cristo, a quem Ele enviou.
Uma passagem em 2 Coríntios, capítulo 5, diz assim: “Àquele que não conheceu pecado (falando de Cristo agora), Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.” Então, quando Deus olhou para essa humanidade perdida e viu que não havia um sequer sem pecado, um sequer que pudesse passar na “régua” de Deus, na régua de perfeição de Deus, o que Ele fez? Enviou o Seu filho Jesus, que é Deus e homem; o filho de Deus encarnado e sem pecado. Note que, existe Deus, existe o ser humano e, de repente vem alguém sem pecado, que desce do céu e se faz carne para ficar entre Deus e os homens, por que Deus tem preparado um juízo para derramar sobre todos os seres humanos, uma vez que todos são pecadores. E os homens, todos nós, por sua vez, estamos constantemente irritando e ofendendo a Deus com nossos pecados. É por isso que Cristo se coloca no meio, entre Deus e os homens, quando sendo sem pecado, vai até aquela cruz. Os homens ofendendo-o, lançando impropérios contra Ele, até que Deus toma a sua posição de juiz e lança sobre Ele o juízo. Mas por que lançou sobre Ele? Porque Deus O fez pecado na cruz por nós! Deus O transformou naquele momento, em pecado. Aquele que não tinha pecado, que não conheceu pecado, Deus O fez pecado por nós, para que Nele fôssemos feitos justiça de Deus. Logo, Deus foi justo, condenando a Cristo na cruz. E o pecado que arruinou a criação foi resolvido ali, na crucificação.

Portanto, aqueles que creem Nele, podem ser salvos agora.

Hoje existe a possibilidade de um pecador perdido ser salvo, porque Cristo se interpôs para receber a carga do juízo de Deus. Ele ficou na frente. Sabemos de histórias de pessoas que se colocaram na frente de outras, quando, por exemplo, um bandido atirou, ou numa guerra, e a pessoa pulou na frente e morreu no lugar da outra, que seria o alvo da bala. Cristo fez algo assim; Ele se coloca na frente do “tiro de Deus”, a fim de salvar o pecador.

Mas, vamos mais à frente, quando é falado sobre o que aconteceu realmente naquela hora, em Mateus 27:46: “E perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”

Uma coisa curiosa, é que ao longo dos Evangelhos, quando Cristo andou aqui na terra, Ele sempre chamou a Deus de Pai. Ele nunca chamou Deus de Deus. Porém, ali na cruz, pela primeira vez, ele clama “Deus meu, Deus meu, por que me abandonastes? Por que me desamparastes?”. A resposta é simples: Ele tinha sido feito pecado e Deus não podia ter comunhão alguma com o pecado. E ali estava o Filho de Deus transformado em pecado. Deus não podia fazer outra coisa senão, abandoná-Lo, senão desampará-Lo. Ninguém viu o que Jesus passou na cruz. Ninguém! Foram três horas de trevas naquela cruz, e Ele estava sozinho, recebendo um juízo.

Agora, pense numa eternidade de juízo, compactada em três horas e lançada sobre Ele; sobre o Filho de Deus. Nós jamais vamos imaginar o que é isso. Pense num pecador perdido, que sofrerá toda a eternidade (apesar de não haver de fato, “toda” a eternidade, porque eternidade não tem fim), para todo o sempre, ele vai sofrer, sem poder de forma alguma, aliviar aquele sofrimento. Sempre, e sozinho, em trevas exteriores, como a Bíblia fala. O seu verme não morre, o seu bicho não morre, ou seja, ele vai continuar com sentimentos, com consciência e com pensamentos, mas ele não vai enxergar ou conversar com ninguém, e ele vai odiar a Deus por toda a eternidade e, mesmo assim, não vai se arrepender. Continuará irado, porque ele nunca quis, nunca desejou a Deus.

Agora, pegue essa sentença, e jogue sobre Ele, na cruz. Foi isso que Jesus passou. Aquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós, para que nele fôssemos feitos justiça de Deus. “E perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”

Para nós entendermos um pouco mais dessa obra, existe uma passagem em Hebreus que dá uma amplitude maior do que Cristo é, e do que Cristo fez: “Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho”, no Filho, o próprio Filho. O Filho foi o Verbo de Deus que veio aqui, declarar Deus aos homens; no Filho!

“A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo. O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas;”. Depois de fazer a introdução de quem é Cristo, ele fala: “havendo feito por si mesmo (ou sozinho) a purificação dos nossos pecados”. O autor da carta aos hebreus está escrevendo para pessoas convertidas. E ele fala “nossos pecados”.

Mas espere, Ele fez a purificação dos nossos pecados? Sim, Ele fez! E o que significa isso pra mim, e para você? Será que você já pode se considerar purificado dos seus pecados?
Na mesma carta aos Hebreus, no capítulo 10, lemos ainda: “Então disse (falando de Cristo, de forma profética; ele está se referindo a uma passagem do AT): Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Na qual vontade temos sido santificados pela oblação (ou oferta) do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez”.

Bom, nós vimos um pouco antes, o que Ele veio fazer — e fez — a purificação dos nossos pecados. Aqui está dizendo de um sacrifício, de uma oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez, na cruz. Eu ouvi certa vez, um cantor cristão cantando um hino que dizia: “Senhor, eu trago meu sacrifício. Aceita o meu sacrifício e retribua-me segundo meu sacrifício”, ou alguma coisa assim, dizia a letra. Que sacrifício é esse que Deus quer que apresentemos a Ele, a não ser a nossa própria vida, o nosso sacrifício, culto racional? Deus não exige mais sacrifícios!

Neste mesmo capítulo 10, de Hebreus, no versículo 11, lemos: “E assim todo o sacerdote (referindo-se aos sacerdotes do judaísmo) aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios (e que não resolvem o problema de uma vez por todas), que nunca podem tirar os pecados;”. Mas então por que todos aqueles sacerdotes faziam tantos sacrifícios? Milhões de animais foram mortos em sacrifício para Deus. Porque? Por que eles apenas faziam memória do pecado. Traziam à recordação, o pecado; o que é o pecado, e de como o homem necessita de um sacrifício. E qual sacrifício? Nenhum daqueles de animais, porque o sangue de bodes e de touros não pode purificar os pecados.

“Mas este (Jesus), havendo oferecido para sempre (quantos sacrifícios?) um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus, Daqui em diante esperando até que os seus inimigos sejam postos por escabelo (ou por estrado) de seus pés. Porque com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados”.

Veja que interessante; se você realmente tem temor de Deus, tem reverência para com Deus, ama a Deus e a Sua Palavra, desejando conhecer mais de Jesus, mas ainda não sabe para onde vai, pense nisso.

Com uma só oblação, ou uma só oferta, Cristo aperfeiçoou para sempre os que são santificados. Havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus, e então eu lhe pergunto, o que você pretende fazer para resolver o problema dos seus pecados, que Cristo não tenha feito?

Porque alguém ainda acredita que deve acontecer alguma coisa, para poder ter garantia da sua salvação? Ou achando que pode fazer alguma coisa para ser salvo? Talvez a sua perseverança, talvez as suas esmolas, talvez o seu andar correto, ou talvez algum exercício místico ou cerimônia. Nada disso! Aqui diz, que Ele fez de uma vez para sempre, ou seja, o sacrifício necessário para Deus, foi apenas um. E é para sempre, não falta nada!

Se eu disser que você foi premiado com uma cesta básica para sempre, e com isso quero dizer, a manutenção da sua casa inteira, com todos os produtos que você precisa e para sempre, o que você vai fazer no supermercado? Nada! Uma vez que todo dia chegaria uma caminhonete de produtos para você. Você poderia aproveitar para fazer outras coisas, pois isso, estaria garantido.

Então, compreenda, o sacrifício de Cristo fez isso pelos seus pecados. Para sempre! E uma única vez.
E qual a posição que uma pessoa que realmente crê em Jesus tem, quando entende isso? Em Colossenses, no capítulo 1, fala no versículo 12: “Dando graças ao Pai que nos fez idôneos (quem nos fez idôneos? ‘Ah, eu me esforcei. Eu procurei pagar minhas contas. Eu procurei andar direito e me esforçar ao máximo, para me tornar idôneo aos olhos de Deus’. Como o Pai nos fez idôneos? Certamente não foi por alguma obra nossa. Não. “Ele” nos fez idôneos; não nós!) para participar da herança dos santos na luz; O qual nos tirou da potestade das trevas (do poder das trevas), e nos transportou para o reino do Filho do seu amor;”.

Como você, de modo próprio, seria capaz de libertar-se do poder das trevas de Satanás? Como você faria isso? Com alguma espada, varinha mágica? Não tem como! Mas Deus fez isso com os que são seus. Com aqueles que Ele salvou. Os transportou da potestade das trevas para o reino do filho do seu amor, que é Cristo.

“Em quem (ou seja, em Cristo) temos a redenção pelo seu sangue (o que é a redenção? É o ato de comprar, de redimir. Você redime algo, porque você paga e resgata aquilo. E Cristo nos resgatou da morte e da perdição, com o seu sangue derramado), a saber, a remissão dos pecados;”. Remissão é retirada; a extinção da nossa conta, nossa dívida aos olhos de Deus. Se alguém pagar todas as suas contas, você dirá que ainda as tem? Não. Você dirá que seu nome está limpo, que suas contas foram todas quitadas.

Percebe que aqui nada foi dito a respeito de a pessoa fazer alguma coisa? E a continuação diz, desse mesmo Cristo, que Ele é antes de todas as coisas e que “foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse”, ou seja, não faltava nada Nele, porque Ele é Deus; é a imagem de Deus num ser humano. Deus e homem.

“Porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse, E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus. A vós também, que noutro tempo éreis estranhos (ele está falando aqui para cristãos), e inimigos no entendimento pelas vossas obras más, agora contudo vos reconciliou no corpo da sua carne, pela morte, para perante ele vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis”.

Agora veja o seguinte, quem entrou aqui nessa equação além de Cristo e Deus? Você? Quem fez tudo isso? Eu? Você? Não. Tudo Ele! Ele, Ele, Ele! Nada foi dito aqui de pessoas boas. “Porque vocês eram bons; porque vocês eram honestos; porque vocês eram…”. Não! Porque eram pecadores! É só isso que fala. Não tinham merecimento algum e nem capacidade alguma. Eram pecadores até a raiz do cabelo.

Em Atos, capítulo 10, vemos que Ele fez a paz, nos reconciliou no corpo da sua carne, e um pouco antes ele fala que “havendo por ele feito a paz, pelo sangue da sua cruz”. Entendemos então, que havia uma paz que precisava ser feita entre Deus e o homem. Deus nunca ofendeu o homem, mas este, sim, ofendeu a Deus pelo pecado. E essa paz tinha que partir de Deus. Se eu ofender você, de quem deve partir a reconciliação? De você. Você tem que querer me perdoar. Você pode dizer: “Mas Mário, você, pedindo perdão, é o mais importante”; Não! Porque eu posso pedir perdão, e você não me perdoar. A disposição de reconciliação vem do ofendido.

Em Atos 10, no capítulo 36, fala: “A palavra que ele enviou aos filhos de Israel, anunciando a paz por Jesus Cristo”, então Deus já tinha avisado, inclusive, aos judeus, que enviaria um por quem poderia ser feita a paz, a reconciliação entre os homens e Deus. E esse alguém, era Jesus Cristo. Em João 3:15 vemos o que cabe a você fazer agora, para ter essa certeza de paz e segurança do seu destino eterno: 

“Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. Você acredita nisso? Você acredita que, se você crer em Jesus, você não perecerá, mas que tem a vida eterna? Cristo falou isso. Deus prometeu isso na sua Palavra. Isso é a salvação! E é por isso que a salvação é por fé. Você não enxerga nada disso, mas você pega a promessa de Deus, e se agarra a ela. É o “convite para o jantar”. Você até ia comer um sanduíche de mortadela em casa, mas você foi convidado para um jantar num restaurante chique, então você diz: “eu não vou comer nada durante o dia, vou deixar o apetite para o jantar”. Por que você acreditou na palavra de quem o convidou. Assim é com Deus, Ele convida para, muito mais que um jantar num restaurante chique. O Senhor Jesus diz: “eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá. E todo aquele que vive e crê em mim nunca morrerá. Crês tu nisto?”. Ele perguntou às irmãs de Lázaro. Vocês acreditam que quem crê em Cristo ainda que esteja morto, viverá? E todo aquele que Nele crê, nunca morrerá? Você crê realmente, ou acha que Ele estava brincando? Não, Ele estava dizendo muito seriamente.

E no capítulo 12 do Evangelho de João, o próprio Senhor Jesus diz no versículo 46: “Eu sou a luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas”. Você tem medo de escuro? Trevas é algo estranho ao ser humano, porque Deus é luz. Na realidade, as trevas nem existem, elas são apenas ausência de luz. Da mesma forma como não existe frio, apenas ausência de calor. Porque Deus é luz e Cristo agora fala dessa luz, mas ela não ficou inacessível ao homem; “Eu sou a luz que vim ao mundo”. Por que Ele veio ao mundo como luz também, veio como Salvador, “para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas”. Ele prometeu que quem crê Nele, tem a vida eterna, prometeu que quem crê Nele, ainda que esteja morto, viverá, e agora Ele promete que quem crê Nele, não permanece em trevas.

Em Atos 10:43, Ele apresenta mais uma promessa: “A este dão testemunho todos os profetas, de que todos os que nele creem receberão o perdão dos pecados pelo seu nome”. A Palavra de Deus também nos diz que, se você crê em Jesus, você recebe o perdão de seus pecados. De quais pecados? Só dos menorzinhos, dos menos graves? Não, aqui está falando dos pecados; não tem pecadinho ou pecadão. Todos são pecados. Você recebeu o perdão de todos os seus pecados? Você tem posse do perdão de todos eles? Deus promete apenas pela fé! Você não recebe comprando, trocando, fazendo nada. Apenas pela fé! Como está escrito em Romanos 9: “Eis que eu ponho em Sião uma pedra de tropeço, e uma rocha de escândalo; E todo aquele que crer nela não será confundido”, você não terá dúvidas, se crer em Cristo. Você não será confundido!

Você jamais encontrará um verdadeiro cristão, que se arrependeu de crer em Cristo. Alguém que diga: “ah, melhor seria que não tivesse crido em Cristo. Melhor que não tivesse entrado nessa de receber a salvação”, você nunca vai encontrar alguém assim!

Talvez você encontre um falso cristão, que achou que crer em Jesus era receber carro novo, carro importado, arrumar emprego ou conseguir namorada. Talvez, você encontre um, que achava que era isso, porque é isso o que as igrejas por aí, estão oferecendo. Não estão oferecendo perdão de pecados ao pecador; mas, oferecendo benefícios. Parecem aquelas cestas de natal Amaral. Acho que os mais velhos aqui lembram disso, aquela cesta que toda criança queria ganhar no natal do gigante Amaral, que vinha com coisas incríveis dentro. E isso é o “evangelho” que se prega por aí: uma cesta de natal com um monte de bugigangas, para você ficar contente por dez minutos e depois passar e tudo acabar.

Porém Cristo oferece vida eterna, perdão de pecados, tirar da potestade das trevas de Satanás e transportar para o reino do filho do seu amor, o reino de Cristo, e não ser confundido.
E em 1 João, capítulo 5, diz que “todo aquele que crê que Jesus é o Cristo, é nascido de Deus”. Veja que interessante! Lembra quando falei do novo nascimento, que era uma obra que Deus faz? Não é uma obra de homem. Quando você nasceu, qual foi a sua providência para isso? Um pouco antes, qual foi a sua providência para ser gerado? Você por acaso foi o cupido que levou seus pais a se encontrarem? Você fez alguma coisa para que eles se apaixonassem e se unissem e você nascesse? Você não teve participação nenhuma! E no parto? Você ajudou com o pezinho para sair? Não, também não. Você não fez nada para nascer. Da mesma forma, o novo nascimento, é uma obra inteira de Deus.

Quando eu falei no início, que parece ser estranho a alguns, que Deus nos escolhe antes da existência de todas as coisas, mas que não há como esconder isso, não há como mentir ou falar “ah, então, se eu fui escolhido, Deus vai me fazer crer”. Bom, essa é a primeira frase que um não-escolhido vai dizer, porque esse realmente não tem temor de Deus. Realmente não entendeu ainda com quem está lidando. Está brincando, fazendo uma roleta russa com a sua eternidade. Se você realmente crê em Jesus como seu Salvador, você vai saber — realmente eu fui escolhido. Uma vez, eu vi um exemplo daquele que crê, como se houvesse uma porta com dizeres no batente, uma porta que você não consegue entender o que tem do outro lado, mas que está escrito: “será salvo todo aquele que crer” e você pensa — é, eu vou crer! Então você dá o passo de fé, e está do lado de dentro e olha para trás, no batente, onde está escrito “e tiver sido escolhido antes da fundação do mundo”. Aí você entende o que antes não entendia.

Ora, se você quer entender que Deus lhe amou, e que escolheu você, então você terá que crer, terá que passar pela porta. “Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus”. E depois o que você recebe de tudo isso? Bom, você viu que crendo, é tirado das potestades das trevas; crendo, você recebe a salvação; crendo, você recebe a vida eterna; crendo, você não é confundido. Sempre crendo! A fé em Cristo, porque Ele pagou pelos seus pecados.

A ssim, você ganha essa absoluta certeza, e pode desfrutar já, neste exato momento, da vida eterna e falar de boca cheia: “eu tenho a vida eterna”! Ah, por que? Você se acha bom? Não. Vida eterna não é para bons. Senhor Jesus falou “eu não vim chamar justos. Eu vim chamar pecadores ao arrependimento”. A vida eterna é para pecadores que crêem que são incapazes de se salvarem a si mesmos, de se transportarem das trevas para a luz. Pecadores assim, totalmente incapacitados e inúteis. Esses, Cristo veio salvar. E Ele promete “se alguém ouve a minha voz, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna”. Eu li esse versículo para o rapaz no avião, e pedi a ele para repetir os verbos: ouve, crê, tem! Não entrará em condenação, ou em juízo, mas passou da morte para a vida. Passou! Significa que ficou lá atrás. Da morte para a vida, eu passei em 1978. Ficou lá longe. Está lá atrás. Eu não vou mais passar da morte para a vida. Já passei, porque Cristo me salvou naquele dia em que eu cri Nele. E desde quando eu tenho a vida eterna? Passei da morte para a vida. Eu tenho a vida eterna.

E você, desde quando você tem a vida eterna? Desde quando você não vai mais ser condenado à perdição eterna? Desde o momento em que você creu em Jesus como seu Salvador. E essa certeza nos é dada em Romanos, quando fala: “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados (percebeu aqui?) segundo o seu propósito. Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou (tem cristão que odeia essa palavra e diz ‘não, mas tem que ter alguma coisa em mim que vai escolher Jesus’. Não tem nada em você capaz de fazer isso. A menos que Deus pinçasse você de uma humanidade perdida, você nunca teria crido em Jesus. E está muito claro aqui ‘aos que predestinou’) a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou”. Quem fez tudo isso? Foi Deus, em Cristo! E eu? Onde eu entro nessa história? Você entra como beneficiário de tudo isso. Você é o grande premiado pela graça de Deus. Por isso se chama, graça. Se precisasse fazer algo, não seria graça.

Há um industrial, aqui de Limeira, que ao ouvir um comentário dizendo “isso aqui está difícil de resolver”, ele respondeu: — É por isso que chama trabalho. Se fosse fácil, chamaria diversão. Então eu penso, por isso chama graça. Não há nada que se fazer em troca. Se tivesse algo para ser feito, se chamaria trabalho, se salário: “Deus me deve uma!”. Porque eu fui bom, eu dei esmola, eu fui a igreja, ajudei os pobres, eu fui correto. Agora o Senhor tem que me dar a salvação. Imagine se Deus vai dever algo para alguém! Ele é o dador, Ele é aquele que beneficia, Ele é o que faz o bem. Nós somos objetos do Seu amor. Que dificuldade é essa de ser amado?

Todo mundo fala em amor, não é mesmo? — Eu não sou amado, ninguém me ama, ninguém me quer… E a maioria das pessoas no mundo repete isso. As redes sociais estão cheias de pessoas sem amor, que se acham a “pior bolacha do pacote”. E agora, quando Deus oferece o maior amor de todos, de ter Cristo morrido por nós, quando ainda éramos pecadores, inimigos Dele, o que fazemos por esse amor? A única coisa que dá pra fazer é aceitá-lo!

“E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou. Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? (quem poderia falar?: — O Mário era mau, um desonesto!). É Deus quem os justifica (ninguém vai poder apontar o dedo para um salvo por Cristo, para um que foi escolhido por Deus). Quem condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de Cristo?”.
Esse silêncio é a resposta. Ninguém, nem absolutamente, nada, pode separar um salvo, do amor de Cristo.

E como você poderia sair daqui, sem a certeza da sua salvação? Se você realmente crê em Jesus como seu Salvador, se crê que os seus pecados foram colocados sobre aquele homem na cruz, e foram todos pagos naquelas três horas de trevas, e que no fim, Ele entregou a sua vida — ninguém O matou; Ele a entregou, um poder que ninguém tem, mas que Ele tinha — e depois de morto, um soldado furou seu lado e saiu sangue e água. Toda a obra fora consumada e Jesus falou: “está consumado”. Por que terminou, não tinha mais nada para fazer.

Então, se você crê realmente em tudo isso, não saia daqui sem a certeza da vida eterna. A certeza de que seus pecados foram pagos. E amanhã, se alguém te perguntar: — O que vai acontecer com você, se esse avião cair? — Ah, eu vou para o céu. Por que Cristo me salvou. Porque Ele derramou seu sangue para me purificar, de todos os meus pecados!