Pesquisar este blog

Carregando...
Para fazer download do mp3 clique com o botão direito do mouse sobre o link e escolha salvar.

Liberto! - Mario Persona

Liberto! - Mario Persona (mp3)
http://files.3minutos.net/Liberto.mp3



Youtube: https://youtu.be/9-A2eow76e4

Liberto
Mario Persona

Quando eu morava em Alto Paraíso, que na época tinha cerca de setecentos habitantes, o município tinha por volta de três mil. Era não mais do que um povoado e havia uma pequena farmácia (quando digo farmácia, pense num pequeno retângulo; era minúscula mesmo). O farmacêutico era muito gentil, simpático; ele era de uma filosofia, de uma religião ou organização chamada “Rosa Cruz”. E esse farmacêutico gostava de estudar. Ele tinha muitos livros na sua estante.

Havia também um rapaz que eu conhecia na cidade. Era um rapaz muito simples, o Sebastião, e ele era semianalfabeto. E quando digo isso, é exatamente isso; ele sabia ler, mas não sabia escrever. Certa vez, esse Sebastião escutou o evangelho e no dia seguinte ele foi capinar uma roça e, no meio da capina, ele entendeu que Cristo havia morrido por ele; entendeu que ele precisava crer em Jesus, se arrepender dos seus pecados e então se ajoelhou ali mesmo na terra e creu em Cristo!

Ele conheceu aquela libertação que só conhecem os que realmente creem em Jesus; aqueles que têm o perdão e a vida eterna.

Um dia eu estava na farmácia, conversando com o farmacêutico e falando do Evangelho para ele e aí chegou o Sebastião. Quando ele percebeu o assunto, ele entrou na conversa também e começou a dizer as mesmas coisas: que o farmacêutico tinha que crer em Jesus, que o Senhor Jesus tinha morrido na cruz pelos seus pecados e que bastava crer n’Ele para receber a vida eterna.

Porém o farmacêutico retrucava: “você tem que se elevar. Tem que crescer; subir os degraus da iluminação”.

Então eu falei pra ele que, se Deus quisesse mostrar ao homem o caminho da salvação, será que Ele o faria exigindo o estudo de muitos livros? Exigindo que a pessoa fosse muito culta e muito dedicada aos estudos? Será que Ele exigiria subir os vários degraus como ensina essa filosofia ou religião?

Será que Deus faria disso uma coisa tão difícil e tão complicada, ou Ele daria algo, mostraria uma maneira através da qual qualquer pessoa pudesse entender e crer? Independentemente de cultura e de capacidade intelectual; independente de qualquer coisa.

Então, veja bem (eu disse), eu estou eu aqui, vim de uma cidade grande. Eu tenho faculdade, tenho certa cultura. E está aqui também o Sebastião, que é uma pessoa criada no campo, uma pessoa simples. E nós estamos ambos falando absolutamente a mesma coisa para você!

Porque esse é o evangelho!

Ele é simples o suficiente para qualquer pessoa poder aceitar e crer; até mesmo uma criança. E é ao mesmo tempo poderoso para resgatar uma alma de seus pecados, da morte e da condenação eterna e transportá-la para o reino do filho de Deus; para um lugar de salvação eterna.

O Evangelho é talvez (acredito eu) a coisa mais simples que pode existir porque, para que ele ficasse simples, foi tudo muito complicado.

O evangelho é de graça! A salvação pregada pelas Boas Novas do evangelho é de graça.

Isso porque ela custou o mais alto preço que alguém poderia pagar: custou a vida do filho de Deus!

Ele, que veio ao mundo para morrer no lugar do pecador.

E o que é o Evangelho? É muito complicado entender?

Não!

Evangelho dá para ser pregado em menos de três minutos: Cristo morreu pelos nossos pecados e Cristo ressuscitou para nossa justificação. Creia no Senhor Jesus Cristo e serás salvo!

Não durou nem dez segundos para falar o evangelho.

Mas por que, às vezes, pregamos um trecho longo?

É que o evangelho tem tantas facetas, que são tão maravilhosas, que nós ficamos empolgados em conhecer um pouco mais.

Queria abrir a Bíblia no capítulo 8 do Evangelho de Lucas.

Aqui existe uma sequência de eventos que mostram várias dessas facetas, dessas características da mensagem do Evangelho e da obra que Cristo consumou na cruz, em prol da salvação do pecador. Em Lucas capítulo 8 (começando pelo versículo 4) vemos o Senhor Jesus falando uma parábola sobre um semeador.

No versículo 5: “Um semeador saiu a semear a sua semente e, quando semeava, caiu alguma junto do caminho, e foi pisada, e as aves do céu a comeram; E outra caiu sobre pedra e, nascida, secou-se, pois que não tinha umidade; E outra caiu entre espinhos e crescendo com ela os espinhos, a sufocaram; E outra caiu em boa terra, e, nascida, produziu fruto, a cento por um. Dizendo ele estas coisas, clamava: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça“.

Ele estava apresentando aqui os diferentes resultados da semeadura. E o que é a semeadura?

A semente é a palavra de Deus; esse homem que semeia é Cristo, que saiu por este mundo semeando a Sua palavra, as boas novas de salvação. E as pessoas escutavam e, dependendo de cada uma, essa mensagem era recebida de uma certa maneira.

Em alguns casos, a semente caiu à beira do caminho.

Ele vai explicar depois que nessa “beira do caminho”, vieram as aves do céu e comeram a semente.

Essas aves do céu são uma figura de Satanás, o diabo, inimigo das nossas almas.

Ele realmente não quer que você seja salvo.

Ele não quer que você creia em Jesus e que você esteja aqui esta noite ouvindo o evangelho.

Para ele não existe perdão e nem existe salvação.

Ele é um anjo que se rebelou muito antes da criação; antes dessa criação que nós conhecemos hoje, e não existe para ele qualquer salvação.

Deus preparou uma obra tão maravilhosa para aqueles que crêem n’Ele e esses estarão em Cristo Jesus, juntamente com Ele, governando sobre toda a criação de Deus.

Mas essa era a tarefa que Deus, no princípio, havia dado a Satanás antes de sua queda. Ele seria, portanto, o administrador de todas as coisas, mas ele caiu.

E quando caiu, Deus escolheu um homem para administrar todas as coisas.

Esse homem é Cristo, o filho de Deus feito homem.

Só que aqueles que são salvos estarão em Cristo, junto com Ele e reinando sobre todas as coisas e, obviamente, alguém ficou com ciúmes.

Então ele não quer, Satanás não quer.

Nesse sentido, a semente que cai à beira do caminho é aquela que cai em corações bastante propícios para Satanás simplesmente arrancá-la deles.

O caminho nos fala da influência das pessoas do mundo.

As pessoas andam pelo caminho...

Num lugar de pasto, você descobre onde as pessoas passam observando: “ali é o caminho! Onde todo mundo pisa!”. Logo, se você esperar em qualquer lugar para encontrar alguém, você não vai encontrar, mas ali você vai.

Quanto à influência das pessoas, certamente alguém na sua família por exemplo não queria que você viesse aqui hoje. Alguém estava contra: “o que você vai fazer lá? O que vai escutar?”.

Os amigos também não querem que você esteja aqui porque eles não conhecem a verdade, não conhecem a Cristo e eles não querem ficar sozinhos na condenação.

Portanto, aqui estão esses que a semente cai na beira do caminho...

Todavia, noutros casos, ela cai sobre pedras. Ou seja, não tem raiz.

Esse é o “oba-oba”.

É aquele que por um tempo fala: “que coisa maravilhosa! É isso que eu quero!”, mas não tem raíz. Não passa de emoção; ele chora, ri, mas não tem raiz.

Vê-se muito disso hoje no mundo. Muitas pessoas parecendo arrependidas e no dia seguinte estão do mesmo jeito.

Pergunta-se então: “o que aconteceu? Você não tinha se convertido?”.

Não tem raiz!

Depois, outras caem entre os espinhos e são sufocadas.

Com os cuidados, riquezas e deleites da vida, não dão fruto com perfeição.

Por fim, outra cai em solo bom e floresce e dá frutos.

Isso é o que basicamente acontece dentre as diferentes formas de se receber o evangelho.

Quem é você?

Aquele que está recebendo a semente e pensando na influência dos que estão pelo caminho? Em como eles olharão para você se você aceitar essa semente?

Quem é você?

Aquele que fala: “que legal isso!”, mas que não vai durar vinte e quatro horas?

Quem é você?

Aquele que fala: “mas isso aí, depois eu não vou poder fazer isso, nem aquilo e nem aquilo outro... Eu vou perder a vida! Vou deixar para mais pra frente. Vou aproveitar minha juventude e vou desfrutar das coisas que agora os jovens desfrutam. Depois eu penso nisso...”.

Quem é você? Um desses?

Ou quem é você?

Aquele que realmente recebe a semente e vai dar fruto para Deus? Que é o outro caso aqui.

Uma vez que alguém crê em Jesus e na obra que Ele consumou na cruz, que os seus pecados foram colocados sobre Ele no madeiro lá no calvário, e que Deus, para não castigar você, castigou a Ele, e assim Ele entregou Sua vida por você, ressuscitando ao terceiro dia para a sua justificação; uma vez aceitando isso, você se torna luz.

E é o que vem em seguida, na parábola da candeia, quando no versículo 16 o Senhor fala: “E ninguém, acendendo uma candeia, a cobre com algum vaso, ou a põe debaixo da cama; mas põe-na no velador, para que os que entram vejam a luz“.

Na realidade, todo aquele que crê em Cristo se torna uma luz neste mundo. Ele reflete a luz de Deus no mundo.

Ele é testemunho de Deus para a humanidade perdida; para um mundo sobre o qual paira um juízo, como se fosse uma grande espada pendurada por um fio de cabelo. Isso é o mundo e a qualquer momento pode romper-se esse fio, então o juízo cairá sobre a terra.

Aquele que se converte a Cristo é luz e vai iluminar. Ele não vai se esconder nem ocultar-se.

Hoje o irmão disse que a pior situação que um cristão pode experimentar, é a de um crente querendo viver como os incrédulos.

Ele não terá paz!

Há uma passagem no Antigo Testamento sobre quando Davi fez isso.

Davi foi perseguido por Saul (ou por seu próprio filho, não lembro agora) e ele fugiu e foi morar com os filisteus, que eram inimigos declarados de Israel. Lá ele se fingiu de louco; ele ficava babando para pensarem que ele era maluco e para que não o matassem.

Assim é o cristão no meio da incredulidade.

Ele é visto como louco e ainda acha que está fazendo sucesso.

Não! Eles não estão aceitando você, se você é uma pessoa que já creu no Salvador.

Em seguida nessa sequência de acontecimentos, chamam o Senhor Jesus, dizendo que a sua mãe e seus irmãos (no versículo 19) não conseguiam se aproximar d’Ele. Vão avisá-Lo no versículo 20: “E foi-lhe dito: ‘Estão lá fora tua mãe e teus irmãos, que querem ver-te’. Mas, respondendo ele, disse-lhes: Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a executam”.

Ele rompia assim os laços naturais...

Agora veja, o próprio Senhor Jesus, num determinado momento do seu ministério, rompeu os laços com familiares e reconheceu que tinha uma outra família: “quem são minha mãe e meus irmãos? Aqueles que ouvem a palavra de Deus e a executam!”.

Então, ouvir a palavra de Deus e executá-la, sendo luz neste mundo é uma outra esfera de vida.

Você está disposto a isso?

Um dia eu passei numa rua onde tem uma igreja evangélica, com uma placa grande na porta dizendo o seguinte: “não sofra mais!”.

Eu olhei e pensei, que mentira deslavada!

Como não sofra mais?

Quer dizer então que você vai aceitar o evangelho, aí tudo ficará lindo e maravilhoso?

Não haverá mais sofrimento e não vai mais ter problema?

Eu tenho uma péssima notícia para dar para você...

Aqueles que creem em Cristo só arrumam problemas!

A pessoa na sua incredulidade tem um problema tremendo: ela vai ser condenada eternamente!

Lá no fim da jornada a condenação eterna está esperando por ela.

Mas aqui no mundo ela ainda vai levando, meio que na “maciota” e consegue ir vivendo; aqui e ali e tudo mais, mas lá na frente vai ter condenação.

Ao crer em Cristo, porém, ela se torna um cidadão do céu no território do inimigo; do príncipe deste mundo, que é Satanás.

E aí os problemas começam.

Primeiro é a família...

É o primeiro lugar que você vai dar trombada quando você se converter a Cristo.

Mas é lá que você vai testemunhar logo de início.

Quando os discípulos são chamados para acompanhar o Senhor no Evangelho de João, eles vão primeiro aos seus próprios irmãos, a sua própria família para avisar que tinham encontrado o Cristo, que era o Messias de Israel.

Essa é normalmente a primeira coisa que fazemos, nós corremos para casa e falamos: “eu aceitei a Jesus! Eu creio em Cristo! Minha salvação é eterna agora! Eu tenho vida eterna!”, naquele gozo, e de repente você leva uma bordoada e a família inteira se coloca em inimizade contra você.

É normal. Porque são pessoas não convertidas e que estão vivendo no mundo; que estão ainda vivendo nos seus delitos e pecados, mas você tem vida nova.

Não bate! São coisas que dão faísca na hora que encosta.

Mas o seu testemunho será importante ali, porque Deus poderá alcançar a sua família também.

Agora o Senhor chama seus discípulos (a partir do versículo 22) e Ele entra num barco com eles e convida: “Passemos para o outro lado do lago”.

Ele faz um convite para eles entrarem num barco com Ele.

Eu pergunto: você teria coragem de entrar no mesmo barco em que Jesus estava?

Alguém pode pensar, “claro! Olha que maravilha! Se Ele me convidasse para entrar num barco, eu ia dar um passeio com Ele.”.

É? Mas o que acontece na hora em que eles entram no barco?

No Versículo 23: “E, navegando eles, adormeceu; e sobreveio uma tempestade de vento no lago, e enchiam-se de água, estando em perigo”.

Eu disse que, muitas vezes, você encontra oposição da família quando se converte a Cristo, mas quando você “entra no barco” realmente com Ele, você encontra uma oposição direta de Satanás.

A Bíblia diz que o diabo é o príncipe dos poderes dos ares, príncipe das potestades do ar.

Nós encontramos no Livro de Jó, quando Deus permitiu que Satanás pesasse a sua mão sobre ele (um servo de Deus), Satanás tentando achar alguma coisa para falar contra Jó e Deus permite: “vai lá. Faz com ele o que você achar que tem que ser feito.”.

Satanás provoca um vento, um vendaval que derruba a casa onde estão os filhos de Jó e eles morrem. Ele perde todos os filhos num dia!

Podemos pensar: “mas que Deus é esse que permite uma coisa dessas?”.

Um Deus bom!

Um Deus de amor e um Deus que enxerga as coisas não com a miopia que o homem olha, pensando no aqui e no agora; um Deus que deu a oportunidade de Jó não perder nenhum de seus filhos.

“Como assim? Mas morreram todos!” Sim, morreram e foram para a presença de Deus.

No fim do Livro de Jó, quando Deus restaura a sua sorte, Ele dá em dobro tudo que Jó tinha no começo.

Eu não lembro os números, mas era tipo assim: se ele tinha mil ovelhas ficou com duas mil; se ele tinha mil vacas; ficou com duas mil vacas; se ele tinha mil camelos, ficou com dois mil camelos; se ele tinha dez filhos, Deus deu a ele dez filhos!

“Então ele não ganhou o dobro!” Sim, ganhou!

Porque os outros estavam guardados em Deus. Ele saiu também com o dobro de filhos.

Esse é o Deus!

Ele enxerga as coisas a longo prazo e numa perspectiva ampla; não na miopia humana.

Então, no fim, Jó saiu ganhando.

Mas o ponto que eu queria mostrar é que esse vendaval foi causado pelo inimigo de nossas almas e, quando eles estão no barco, o que acontece?

Um vendaval!

Satanás não quer deixá-los vivos. Quer matar esses discípulos e ele aproveita que Cristo está dormindo... “Ah, Ele está dormindo. Agora eu faço!”. Mas o Senhor acorda.

Eles vão até o Senhor (no versículo 24): “E, chegando-se a ele, o despertaram, dizendo: Mestre, Mestre, perecemos. E ele, levantando-se, repreendeu o vento e a fúria da água; e cessaram, e fez-se bonança. E disse-lhes: Onde está a vossa fé? E eles, temendo, maravilharam-se, dizendo uns aos outros: Quem é este, que até aos ventos e à água manda, e lhe obedecem?”.

Eles estavam no barco com Jesus, mas não criam ainda n’Aquele com quem eles estavam.

O fato de nós estarmos no barco com Jesus, o fato de você crer em Jesus como seu Salvador, de aceitá-Lo como seu Salvador, não vai livrá-lo das tempestades.

Mas existe uma grande diferença ao viver uma vida em meio às tempestades, porque elas existem para todos os homens. Todos têm, crentes e incrédulos. Todos passam por problemas na vida.

Existe, entretanto, uma diferença enorme entre você passar por problemas sem Cristo, ou você passar por problemas com Cristo.

De qualquer maneira, é uma mentira um pregador qualquer, numa igreja qualquer ou num programa de TV, falar que você vai se livrar dos seus problemas se você foi na igreja tal; se você aceitar Jesus. Não!

Seus problemas vão aumentar!

Quando nós vemos a vida dos apóstolos, eles estavam sempre apanhando, levando pedrada.

Dos doze apóstolos, onze foram condenados a mortes violentas. Foram decapitados, crucificados, apedrejados, furados com espadas e lanças. Todos eles!

Mas é isso que é ser crente?

Pode ser; porque a esperança do cristão não está nesta vida, mas na eternidade.

E qual a diferença entre um que crê e um que não crê?

O que não crê, na hora em que ele sair dessa vida, ele entrará na condenação eterna. Ele estará perdido eternamente.

Nós sempre vemos aquelas figuras bonitas em filmes ou em cartões postais, em imagens na internet, de um portão nos céus, cheio de nuvens; “ali é o portão do céu, vamos entrar ali...”.

Não!

O portão dos céus fica na Terra, porque no momento em que a sua alma sair daqui, já está decidido para que lado ela irá!

Ela vai para o céu se você tem os seus pecados perdoados por Jesus; se você creu no Salvador e confessou a Ele que você é um pecador perdido, aceitando Sua obra de que Ele morreu no seu lugar.

Ou você vai para o céu por ter crido em Jesus, ou você vai ser condenado eternamente.

Não tem segunda chance!

Quando o Senhor conta a história do rico e Lázaro (este último na presença de Deus e o rico no Hades, que é lugar dos mortos), o rico já está sofrendo terrivelmente. Com sede e ele pede até para que Lázaro seja enviado a ele para mitigar a sua sede.

Quando você ouve essa história, onde está esse rico?

Ele está no purgatório, esperando purgar os seus pecados para depois mudar de departamento e ir para mais perto do céu?

Não. Ele já está condenado!

Onde está esse rico?

Ele está fazendo um curso de aperfeiçoamento espiritual para eliminar seus carmas e voltar à Terra na forma de um cachorro, de uma vaca ou de um ser humano porque ele vai reencarnar?

Não. Ele está perdido eternamente!

Onde está esse rico? Está dormindo sem sentir nada?

Não. Ele está muito acordado, tanto é que está sentindo o sofrimento.

Onde está esse rico?

Ele está exterminado como algumas religiões ensinam? Que a alma será aniquilada.

Não tem nenhuma alma aniquilada. Ela está muito existente! Não mudou nada. Ela está consciente. O momento da saída de uma alma da Terra sela o seu destino eterno.

Por isso, não é coisa de pouca monta decidir agora se você quer ser salvo ou continuar perdido.

E a salvação é de graça!

Nós queremos tudo de graça nesta vida, não é?

Você vai a uma loja e está escrito: “grátis hoje”.

Vamos lá!

Forma aquela fila que dobra a esquina porque queremos tudo de graça.

Aí, alguém fala: “creia em Jesus e você será salvo, de graça!”.

“Ah, eu tenho que fazer alguma coisa. Eu tenho que pagar alguma coisa. Não é possível que seja de graça.”

É! Cristo já pagou!

Nós queremos tudo de graça, mas quando a questão é a da salvação, queremos fazer alguma coisa... “Eu tenho que dar esmolas. Tenho que fazer algo. Tenho que reencarnar.”

Não! É de graça; Ele já pagou e porque Ele pagou é de graça.

Não é que é barata.

É porque Ele pagou com seu próprio sangue!

Isso é o evangelho.

Ele ressuscitou ao terceiro dia. Deus dando o Seu aceite, a Sua aprovação; Deus assinando: aprovado! Essa obra está aprovada! Não precisa existir outra obra. Essa está perfeita! Atendeu todos os requisitos.

E é neste Cristo que você crê para ser salvo.

Mas continuando, eles atravessam o mar e quase morrem afogados.

O diabo queria afogá-los, mas tem outros que vão se afogar daqui a pouco na continuação do relato. É justamente o contrário; é o time oposto agora que vai sofrer afogamento.

No versículo 26: “E navegaram para a terra dos gadarenos, que está defronte da Galileia. E, quando desceu para terra, saiu-lhe ao encontro, vindo da cidade, um homem que desde muito tempo estava possesso de demônios, e não andava vestido, nem habitava em qualquer casa, mas nos sepulcros. E, quando viu a Jesus, prostrou-se diante dele, exclamando, e dizendo com grande voz: Que tenho eu contigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Peço-te que não me atormentes“.

Vocês lembram o que os discípulos disseram no barco?

“Quem é este que até os mares, as águas, os ventos obedecem?”

Quem é este?

Eles não sabiam quem era Ele, mas os demônios, uma legião deles, sabiam quem era Jesus.

Eles imediatamente O reconhecem: “que temos contigo, Jesus, filho do Deus altíssimo? Peço-te que não me atormentes. Porque Ele tinha ordenado ao espírito imundo que saísse daquele homem, pois já havia muito tempo que o arrebatava. E guardavam-no preso, com grilhões e cadeias; mas, quebrando as prisões, era impelido pelo demônio para os desertos. E perguntou-lhe Jesus, dizendo: Qual é o teu nome? E ele disse: Legião; porque tinham entrado nele muitos demônios. E rogavam-lhe que os não mandasse para o abismo“.

Existe um lugar, chamado abismo, reservado a esses demônios e eles não queriam ir para lá, e por algum motivo o Senhor não os manda para lá neste momento aqui.

Mas é importante entender isso.

Você já conhece Jesus?

Você sabe quem Ele é e o que Ele fez por você?

Porque os demônios O conhecem, só que Ele não fez por eles. Eles estão condenados.

O ser humano ainda tem esse privilégio, essa chance imensurável de conhecer a Jesus Cristo, aquele que veio ao mundo para morrer no lugar do pecador.

O que falta para você agarrar essa oportunidade? O que falta para você crer em Jesus?

“Ah, eu estou no caminho... E tem tantos amigos na beira do caminho, falando, falando. A opinião pública diz que não é bom fazer isso, porque 99% , 30%, 40%...”

Essa semana, eu estava ouvindo a CBN e tem uns comentaristas que são muito bons profissionalmente, porém o assunto nesse quadro era a Bíblia.

Um deles (prefiro não citar o nome; ele é muito conhecido, mas deve estar com uns oitenta e tantos anos, já está muito idoso) estava dando a sua opinião sobre a Bíblia. Ele já não consegue falar. Ele já está muito velho e, portanto, já está muito próximo de ele se encontrar com Deus e ainda assim ele dizia: “eu nunca rezo. Nunca faço orações. A Bíblia, um livro histórico... Quem gosta que leia, mas ela não vai fazer diferença nenhuma.”.

Então eu escutei aquilo... Um homem já prestes a deixar este mundo (porque não falta muito tempo para ele; 80 anos, 90, 120 anos, se chegar se arrastando até lá).

Nossa vida é uma fumaça; um vapor que desvanece, é uma flor que murcha, uma erva que seca. Essa é a nossa vida.

Que ilusão alguém pode ter?

Eu caminho aqui em Limeira e tem uma avenida chamada Avenida da Saudade.

Eu não sei se todos aqui sabem, mas no local onde fica essa avenida havia um cemitério. Tanto é que aquelas casas quando foram construídas, muitas vezes interrompia-se as obras porque, na hora de abrir o alicerce, encontravam esqueletos, ossos, crânios, e tinha que chamar alguém da prefeitura para guardar e levar para outro lugar.

Ali era o cemitério que depois foi transferido mais pra cima; o Cemitério da Saudade.

Só que o tempo passou. O mato cresceu e fizeram uma avenida em cima.

Ninguém se lembrou daquele cemitério ali.

Tinha um outro cemitério, de leprosos, mais para o lado da “Máquinas Andréia” e que era separado dos outros, na Avenida antiga.

E quando eu caminho ali, eu sempre penso que estou pisando em cima do pó de pessoas que andaram neste mundo. Algumas foram pessoas importantes nesta cidade; comerciantes... Foram pessoas da sociedade. Talvez debaixo dos meus pés, tenham jovens que estavam com todo vigor e vontade de viver, mas de repente a morte os encontrou e eles não puderam fazer nada. Agora caminhamos sobre eles e eles não tem mais voz, não tem mais nada. Onde estarão as suas almas?

O que acontecerá quando seus corpos ressuscitarem?

Estarão eles sofrendo neste exato momento?

Porque quem morreu sem Cristo está sofrendo já! E sofrerá por toda a eternidade.

“Mas deve ser um lugar com muita gente sofrendo.”

Não, porque é um lugar de trevas.

A Bíblia ensina que a condenação eterna é um lugar de trevas. Você não vai ver ninguém; trevas por toda eternidade!

“Mas você está querendo pôr medo. Querendo nos fazer crer por medo e isso é tática terrorista.”

É!

Porque se eu fosse um médico, você chegasse com um câncer e eu falasse: “tome um chá de hortelã. Não é nada.”, estaria correto isso?

Nós estamos falando de eternidade.

É o assunto mais sério que alguém pode pensar.

Você pensa na sua carreira: “eu quero me formar. Eu quero depois constituir família. Vou ter filhos e quero ver meus filhos irem para a faculdade. Quero ver meus filhos se casarem. Eu quero entrar na formatura dos meus filhos.”.

E depois?

“Ah, depois eu vou me aposentar. Vou viajar e vou gozar a vida!”

É? Tá bom, mas e depois?

Se você faz um plano de vida tão pequeno assim, tão curto e que não tem a eternidade inclusa, você está com uma visão limitada.

Nosso plano de vida tem que ter a eternidade incluída. Não pode ser só o aqui e o agora: filho, neto, aposentadoria e ponto. E depois? É seríssimo o assunto!

Mas aqui nós vemos então que tem esse homem possesso e, quando a legião de demônios pede que o Senhor não os condene imediatamente, o Senhor permite que eles saiam e eles então rogam ao Senhor (no versículo 32): “E andava ali pastando no monte uma vara de muitos porcos; e rogaram-lhe que lhes concedesse entrar neles; e concedeu-lho. E, tendo saído os demônios do homem, entraram nos porcos, e a manada precipitou-se de um despenhadeiro no lago, e afogou-se. E aqueles que os guardavam, vendo o que acontecera, fugiram, e foram anunciá-lo na cidade e nos campos”.

Tem uma passagem (não lembro se neste evangelho ou no outro) que eram dois mil porcos, me parece.

Imagine quantos demônios eram.

Agora, o que Satanás quis fazer mesmo com os discípulos momentos antes, quando eles estavam no barco?

Afogá-los!

E o que aconteceu agora com esses mensageiros de Satanás?

Os porcos, nos quais eles entraram, morreram afogados.

É uma luta constante. O inimigo querendo barrar você, para que você não creia em Cristo, querendo destruir você neste mundo. Mas Deus assegurando que quem tem a palavra final, e vai portanto vencer, é Cristo! Sempre é Cristo!

Quando Satanás viu aquele homem pregado naquela cruz, ele pode ter pensado assim: “acabei com Ele! Pronto, terminou!”.

Mas foi ali que Satanás foi vencido!

Em Gênesis tinha sido a promessa de que haveria um nascido de mulher que esmagaria a cabeça da serpente. A serpente lhe morderia o calcanhar, mas Ele esmagaria sua cabeça.

A cabeça de uma serpente é onde estão as presas com veneno.

E Cristo a esmagou.

“Mas Satanás está agindo!”

Sim, está. Mas o veneno dele não pega mais!

Ao menos não nos crentes. Não nos que foram salvos, porque já foi esmagada a cabeça da serpente na cruz.

Falta Satanás ser condenado ainda, receber a sua pena. Porém, ele já foi acabado.

Já foi tirado dele esse poder que ele tinha sobre os homens.

Agora, quanto a este homem que estava possesso dos demônios, olhe em que situação ele estava...

Ele andava nu, e ele veio da cidade; quando ele encontra o Senhor Jesus ele vinha da cidade.

Isso dá trabalho para a cidade.

Nós sabemos que toda prefeitura tem um serviço social para tirar da rua os desabrigados, os bêbados, os drogados e levá-los para um canto que ninguém enxergue; para “limpar” as ruas.

Se vai ter festa, vai passar um desfile, o presidente vai desfilar, então eles somem com tudo o que é feio da rua. Todas as pessoas que são deprimentes.

Toda cidade tem isso; a prefeitura passa antes lá e vai limpando.

“O presidente vai passar por aqui! Vamos limpar esta rua. Não pode aparecer! Vem televisão de todo o mundo. Tira esse povo e põe em outro lugar.”

Aquele homem veio da cidade.

Ele importunava todo mundo como um louco; como um homem alucinado, possesso de dois mil demônios ou mais (dois mil porcos receberam a legião de demônios, então, provavelmente mais do que isso até).

E além disso, ele dormia nos sepulcros.

Ele tinha grilhões e cadeias que as pessoas colocavam nele para prendê-lo, mas ele tinha uma força sobre-humana. Ele arrebentava as correntes que colocavam nele.

Essa é uma figura do homem pecador!

“Mas eu não sou assim! Eu não sou desse jeito. Sou uma pessoa distinta na sociedade, eu ando bem vestido!”

Isso é o que você enxerga!

Mas se você tivesse um espelho com a visão de Deus, você cairia desmaiado ao olhar-se.

O ponto de vista de Deus e a visão que Ele tem do homem pecador é de um homem completamente arruinado, horrível! Caído nos seus delitos e pecados.

“Mas eu não tenho cadeias!”

Tem!

Em Efésios capítulo 2 lemos que “nós estávamos mortos em nossos delitos e pecados, andando segundo as potestades do ar, segundo o príncipe que agora opera nos filhos da desobediência”.

Quem é esse príncipe?

É Satanás.

O que quer dizer “o príncipe que agora opera nos filhos da desobediência”?

Quer dizer que Satanás agora manipula quem não é salvo por Cristo. Ele manipula como aqueles marionetes, nos quais amarra-se um barbante no dedo e o bonequinho vai para onde o manipulador quiser.

O bonequinho poderia até pensar: “eu sou livre!”

É?

Olha pra cima...

Essa é a condição do homem pecador.

Ele é manipulado pelo diabo e não apenas isso, mas “andando segundo a vontade da carne dos seus pensamentos”, que é a continuação da em passagem Efésios 2.

Porque nós acabamos andando segundo os nossos instintos, como os animais. Nós somos como animais selvagens e fazemos as coisas instintivamente.

Achamos que somos livres... Não somos!

Em nossa natureza humana, nós somos presos, presidiários como aquele possesso.

Estamos nus! Não temos nada que cubra o nosso pecado.

Não temos nenhuma justiça para apresentar a Deus.

Nus, acorrentados, loucos, alucinados, possessos.

Essa é a figura do ser humano sem Cristo!

Mas quando ele é liberto, no versículo 35: “E saíram a ver o que tinha acontecido, e vieram ter com Jesus. Acharam então o homem, de quem haviam saído os demônios, vestido, e em seu juízo, assentado aos pés de Jesus; e temeram”.

Ah, então agora esses homens da cidade devem se jogar aos pés de Cristo e falar: “muito obrigado, o Senhor nos livrou de um problema tremendo! Olha que maravilha, nem o nosso serviço social conseguiu deixar esse homem tão bem vestido e em tão perfeita ordem. Tão bem em seu juízo. Muito obrigado Senhor”.

Eles fizeram isso?

Não!

Eles expulsaram o Senhor, “e toda a multidão na terra dos gadarenos (versículo 37) e ao redor lhe rogou que se retirasse deles porque estavam possuídos de grande temor. E entrando eles num barco, voltou. E aquele homem, de quem haviam saído os demônios, rogou-lhe que o deixasse estar com ele; mas Jesus o despediu, dizendo: Torna para tua casa, e conta quão grandes coisas te fez Deus. E ele foi apregoando por toda a cidade quão grandes coisas Jesus lhe tinha feito”.

Aqueles homens devem ter feito uma continha muito simples.

Vamos ver: “para libertar um, nós perdemos dois mil porcos. E se Ele tentar libertar umas 100 pessoas aqui da região, imagine o custo que teremos nós!”, é simples a conta.

“Não queremos. Fora daqui. Vai embora. Não queremos você aqui de jeito nenhum!”

Eu pergunto: quando você escuta o evangelho, que você tem que crer em Cristo para ser salvo, e obviamente, não vai receber uma “vida de pandeló”; vai ter oposição de familiares, de amigos... Alguém aqui já perdeu amigos depois que aceitou Jesus? Não precisa levantar a mão.

Nós sabemos como é.

Vai ter de tudo. Vão falar que você é louco, que você ficou demente. Ponha o dicionário completo, o vocabulário completo. Todo mundo já escutou.

Agora, será que você está ponderando quantos porcos você vai perder para tomar essa decisão?

São porcos!

Você perde porcos, não ovelhas!

Você ganha ovelhas!

O Senhor Jesus, numa passagem, fala assim: “aquele que deixar pai, mãe, irmão, irmã, casa, filhos, por amor de mim, receberá nesta vida, cem vezes mais casas, pais, mães, filhos, etc”.

Como?

Porque você faz parte da família de Deus!

Eu viajo bastante e tenho muitos contatos pela internet e às vezes, antes de viajar, vejo uma cidade em que algumas pessoas estão interessadas não só no evangelho (às vezes são pessoas já convertidas a Cristo) mas em congregar fora de qualquer sistema religioso; somente ao nome do Senhor Jesus e sem ter um pastor à frente, sem templo, enfim, congregar nos moldes que congregavam os primeiros cristãos, sem uma organização por trás.

Então faço contato e vou visitá-los.

Quando eu chego, parece que eu cresci junto com aquelas pessoas.

Não são estranhas.

Já chega se abraçando e eu não sabia nem o nome! São irmãos em Cristo!

Alguns estão aqui, que quando visitei a primeira vez e fui recebido como rei, um amor tremendo! Aquele que recebe a Cristo muda de time, muda de lado. Sai dos porcos e vai para as ovelhas.

Onde você quer estar?

Com Cristo no barco ou na terra dos gadarenos? Onde se cria muitos porcos...

“Mas vai ter tempestade no barco. Ele vai dormir!”

E daí?

Ele vai cuidar também. Ele vai acordar na hora certa e você vai estar com Ele. Com Cristo!

Tem outra passagem que os discípulos saem no barco e o Senhor fica em terra, orando, e no meio da noite, um deles fala: “olha, o Senhor vem vindo!”.

Eles vêem o Senhor se aproximando do barco, andando sobre as águas e Pedro diz: “Se for o Senhor mesmo (porque eles pensavam que fosse um fantasma, uma assombração), manda que eu vou até o Senhor! O Senhor fala: “vem!”.

E Pedro vai. Ele desce do barco, põe o pé na água e começa a andar.

Mas, de repente ele olha em volta e começa a ver as forças do vento e das ondas. Ele começa a afundar: “Senhor, me salva!”, ele suplica.

E o Senhor estende a mão para Pedro segurar.

Muita gente ouve essa passagem e fala: “uau, andar sobre as águas deve ser uma coisa muito interessante. Vou tentar repetir isso.”.

Aí você liga a TV e tem um mágico repetindo o andar nas águas. Todo mundo aplaude.

Perdeu completamente! Não entendeu nada do que se diz aqui.

A questão não é andar sobre as águas.

É como se você falasse que está num trem; e alguém pergunta para onde você vai.

“Ah, não sei, eu estou curtindo o trem...”.

Não se pega um trem pra curtí-lo.

Você toma um avião para chegar a um destino, certo?

A questão era que ele estava indo a Cristo e quando ele perdeu Cristo de vista, ele começou a afundar. No momento em que tirou os olhos do Senhor.

Mas era Cristo para quem ele estava indo.

Por que você ainda não foi a Cristo?

Por que você ainda está com seus pecados não perdoados?

Por que você ainda não dobrou seus joelhos na presença de Deus e confessou a Ele que você é um pecador? Que quer ser salvo?

Não é uma mágica!

Não é uma coisa que precisa ser um cientista para aprender; não.

Deus é todo ouvidos e Ele está esperando um pecador chegar e falar: “Senhor, salve-me! Eu sou pecador!”.

Muita gente aqui já fez isso um dia... Ajoelhou-se de um jeito e levantou de outro.

Era outra criatura e era outra pessoa ao se levantar. Tinha uma alegria que nada pode tirar.

Durante a inquisição (chamavam de “Santa” Inquisição, mas de santa não tinha nada) a igreja católica perseguiu e matou aqueles que liam as escrituras. Perseguiu aqueles que criam em Jesus porque não dava certo com o clero. Não podia ter gente lendo as escrituras... “Imagina, eles vão descobrir. Vão saber que isso que ensinamos está errado. Então queime-os!”.

E para espanto deles, muitos morriam queimados cantando louvores a Deus.

De onde vem isso?

De onde vem essa força?

É porque o cristão quando é salvo por Cristo, ele não vira um super-homem, não vira um ser indestrutível; ele continua uma pessoa fraca, simples, mas ele tem agora o Espírito Santo de Deus habitando em si!

Ele tem salvação eterna. Tem a certeza da vida eterna.

Eu me lembro de um irmão em Cristo, da Bolívia, o Avelino Chaves. Muitos aqui o conheceram. Ele veio várias vezes ao Brasil, e uma das situações mais insólitas que eu já vivi foi essa: a última vez que o Avelino veio ao Brasil, ele estava muito mal. Ele tinha doença de Chagas e seu coração já estava enorme. Ele não conseguia andar. Caminhava um pouco e já ficava ofegante. E uma noite ele passou mal.

Como ele estava hospedado na minha casa, eu o levei ao hospital, à Santa Casa.

Ele ficou internado alguns dias lá, tomando medicação e depois eu fui junto com ele ao consultório do cardiologista que era meu amigo de infância.

Foi muito estranha a situação, porque o médico falava:

- Mas Sr. Avelino, o seu coração, é muito séria essa questão. O senhor pode morrer a qualquer momento.

- Mui bueno...

O médico dizia:

- Eu estou falando, o senhor está me entendendo?

- Si, entendo, posso ir com meu Senhor.

- Com quem você vai?

- Com meu Senhor. Ele me salvou, vou encontrar meu Senhor Jesus!

- Mas você vai morrer!

- Sim e vou encontrar tambén minha esposa que já está lá!

Uma alegria falando aquilo e o médico não sabia o que fazer.

Isso é um cristão!

Isso é uma pessoa salva por Cristo, uma pessoa perdoada dos seus pecados.

Quando você tem o perdão dos pecados, você está livre. Liberto!

Você devia para o armazém da esquina um monte de dinheiro, aí vem um amigo rico e fala: “olha, João, paguei sua conta. Está quitada!”.

Até aquele dia, se você visse o dono do armazém andando na calçada, você virava a esquina e não queria encontrá-lo porque você tinha medo.

Tocava o telefone e você não atendia, porque tinha medo, você tinha pavor de encontrá-lo.

Agora, eu pergunto, desse dia em diante, você teria medo do dono do armazém?

Não!

Você passaria e daria um sorriso.

E ele também! Porque recebeu o dinheiro. Não tem mais nada.

Não tem pendência e ele quer que você seja cliente dele.

Ele quer sua amizade, porque acabou, morreu, sumiu!

Cristo, Deus tirou as cédulas, Ele tirou a conta que era contra nós por causa dos nossos pecados. Aquela conta imensa... Ele botou na cruz e pregou ali aquela conta.

Eu sempre me lembro da história de uma menininha cristã.

Perguntaram a ela: “como você sabe que você está salva?”.

Ela explicou assim: “um dia Deus estava vendo a lista dos meus pecados, só que caiu sangue em cima dela. O sangue de Jesus caiu em cima da lista e Deus não conseguiu mais ler. Então Ele não podia mais me condenar porque o sangue de Jesus Cristo, Seu Filho, nos purifica de todos os nossos pecados...”.