Pesquisar este blog

Para fazer download do mp3 clique com o botão direito do mouse sobre o link e escolha salvar.

A agonia de Jesus - Mario Persona

https://youtu.be/Wiu9muVhWaY

A agonia de Jesus - Mario Persona

Boa noite a todos. Estamos hoje aqui para falar da coisa mais gostosa, do melhor assunto que existe para falarmos: a pessoa de nosso Senhor Jesus Cristo! Estava lembrando hoje do que aconteceu certa vez comigo. No dia dez desta semana, trinta e nove anos atrás, eu estava em uma maternidade, aqui em minha cidade, esperando o nascimento de meu filho. Como todo pai muito consciencioso, muito preocupado com o parto, depois que despachei a mãe do meu filho para tê-lo, eu fui para a sala de espera e sentei. Estava vazia, era de madrugada ou no início da manhã, alguma coisa assim. Havia um silêncio. Eu me estiquei para lá e para cá num banco comprido e muito preocupado com o parto, dormi um sono delicioso, sem culpa alguma. Ali estava eu, roncando naquela sala de espera, quando vieram me acordar para avisar que meu filho havia nascido. E é claro que isso virou motivo de piada na família. Como eu podia ter dormido em uma hora tão crítica e importante quanta aquela? Eu deveria estar vigiando e orando por aquele momento, não é? E não dormindo a sono solto.

Mas, eu descobri que tem umas pessoas aqui na Bíblia, que fizeram exatamente a mesma coisa. Não que estivesse acontecendo um parto. No evangelho de Marcos, quando o Senhor Jesus diz que iria morrer e ressuscitar, no capítulo 14, lemos:

“E disse-lhes Jesus: Todos vós esta noite vos escandalizareis em mim; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas se dispersarão. Mas, depois que eu houver ressuscitado, irei adiante de vós para a Galiléia. E disse-lhe Pedro: Ainda que todos se escandalizem, nunca, porém, eu”.

Pedro é um cara bravo, que nunca dormiria em uma hora tão crítica assim! Será que não?

“E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje, nesta noite, antes que o galo cante duas vezes, três vezes me negarás.”

Isso é a confiança própria, e infelizmente está em cada um de nós. Mas ele disse ainda com mais veemência:

“Ainda que me seja necessário morrer contigo, de modo nenhum te negarei. E da mesma maneira diziam todos também. E foram a um lugar chamado Getsêmani, e disse aos seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto eu oro. E tomou consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, e começou a ter pavor, e a angustiar-se.

E disse-lhes: A minha alma está profundamente triste até a morte; ficai aqui, e vigiai.

E, tendo ido um pouco mais adiante, prostrou-se em terra; e orou para que, se fosse possível, passasse dele aquela hora. E disse: Aba, Pai, todas as coisas te são possíveis; afasta de mim este cálice; não seja, porém, o que eu quero, mas o que tu queres.

E, chegando, achou-os dormindo; e disse a Pedro: Simão, dormes? Não podes vigiar uma hora?

Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.

E foi outra vez e orou, dizendo as mesmas palavras. E, voltando, achou-os outra vez dormindo, porque os seus olhos estavam pesados, e não sabiam o que responder-lhe.

E voltou terceira vez, e disse-lhes: Dormi agora, e descansai. Basta; é chegada a hora. Eis que o Filho do homem vai ser entregue nas mãos dos pecadores.

Levantai-vos, vamos; eis que está perto o que me trai”.

Naquele momento de tamanha dor e pesar do Senhor Jesus, os seus discípulos, que ele pediu que o acompanhassem naquele momento, não o fazem. Quando está doente e vai ser hospitalizado, o que você faz? Você pede a alguns amigos ou parentes para irem com você, pois   não quer ficar sozinho; você quer companhia nas horas mais difíceis. E o Senhor não era diferente; ele era Deus e homem. Cristo Jesus, Deus e homem, vindo ao mundo para salvar pecadores humanos, sendo que ele não tinha e nunca teve pecado. Ele jamais poderia pecar, ele não trazia em si a natureza pecaminosa de Adão. E, no entanto, há uma passagem no Antigo Testamento que diz: o seu prazer estava com os filhos dos homens; ou seja, com a companhia das suas criaturas. Ele tinha prazer nas companhias das pessoas. E é por isso também que ele quer no céu, encher a casa de seu Pai, com muitos salvos. Porque Cristo veio aqui morrer, e resgatar para si um povo, e esse povo são os redimidos, os salvos por ele.

Mas aqui, isso demonstra o homem, na hora mais triste do Senhor, na hora em que ele mais precisava de companhia. Ele está só, e ora ao Pai. É interessante observarmos que quando ele ora, "ABA", que é uma palavra hebraica e significa papai, “todas as coisas te são possíveis; afasta de mim esse cálice”, ali estava o filho de Deus, Deus Filho, orando ao Deus Pai, ao seu pai, e pedindo algo que ele sabia que não seria atendido em sua oração. Ele tinha avisado aos seus discípulos que iria morrer e ressuscitar. Mas ele tinha o seu lado humano, e temia. A morte? Não, ele sabia que iria ressuscitar. Mas ele temia algo que jamais havia experimentado em toda sua infinita existência, porque ele é infinito, eterno. Ele ia experimentar o que é o pecado em si; experimentaria o que é o juízo de Deus lançado sobre o pecado. Ele seria feito pecado na cruz, e sabia de tudo isso. Então aqui, ele está com essa expectativa diante de seus olhos, do juízo que ele iria receber por causa dos pecados dos homens. Ele tem uma missão dupla: ele é o Cordeiro que tira o pecado do mundo! E o que significa isso?

Quando o pecado entrou no mundo, lá no Jardim do Éden, Deus viu a sua criação arruinada. Logo, era necessário limpar a honra de Deus, vamos chamar assim, tirando o pecado do mundo que havia entrado, e alguém precisava tirá-lo do mundo. Quando Jesus se apresenta a primeira vez, no seu ministério, João Batista aponta para ele e fala: “Esse é o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.” Um judeu que estava acostumado com séculos de sacrifícios de cordeiros, como substituto do homem no pecado, entendeu o que aquilo significava. Essa linguagem, dita para um brasileiro, não faria muito sentido: – Aquele ali é o cordeiro de Deus. – Como assim, ele é o cordeiro? É o sobrenome dele?

Mas um judeu sabia o que era o cordeiro de Deus. No Egito, Deus mandou separar um cordeiro sem defeito. Quando os hebreus estavam escravizados no Egito, e queriam sair de lá, e houve toda aquela luta para eles poderem sair, insistindo com faraó, que colocava exigências atrás de exigências. Ele não queria deixar o povo sair do Egito, porque os hebreus eram sua mão de obra. No entanto, depois de todas as pragas que Deus permite cair sobre o Egito, o faraó decide deixá-los ir. Mas, ainda tinha mais uma praga, para quebrar totalmente o faraó, para fazê-lo abrir a porteira, abrir os portões do Egito e deixar o povo ir. E qual era essa praga? Naquele dia, o anjo do Senhor ia passar por sobre o Egito, e matar o primogênito de cada família. Mas Deus avisou os hebreus, que eles deveriam pegar um cordeiro, um para cada família, sacrificá-lo, passar o sangue desse cordeiro no batente da porta e ficar dentro de casa, já em prontidão: com as sandálias nos pés, cajado na mão, cingidos de seus cintos, prontos para partir.

E ele diz assim, “vendo eu, sangue, não ferirei aquela casa”; porque ali um cordeiro tinha sido morto no lugar do primogênito. Então, ali não haveria mais morte, pois esta já havia passado por ali. Há até uma história interessante que aconteceu na Europa, eu não sei se foi na Primeira ou na Segunda Guerra Mundial. Uma tropa de soldados inimigos vinha chegando para invadir uma aldeia e um garoto ou alguém tinha percebido que eles estavam vindo, e tinha notado também que todas as aldeias em que entravam, eles matavam todo mundo e depois pegavam o sangue das vítimas e faziam uma marca, um "X", na porta da casa, para que outro soldado que viesse não precisasse mais entrar naquela casa, onde a família já tinha sido morta lá dentro. Então, esse mensageiro correu para a outra vila, avisou a todos que pode, e entrou na sua casa, e quem foi avisado, matou um animal, passou o sangue na porta, e assim foi poupado da matança; porque o soldado que chegava, via o sangue, e pensava: aqui já mataram. Assim aconteceu no Egito.

É por isso que os judeus sabiam o que era um cordeiro de Deus, um cordeiro que substitui, que morre, para que o pecador, o hebreu não morresse. O Senhor chega ao mundo então e vai cuidar de dois problemas: um, é tirar o pecado do mundo, resgatar a honra de Deus que foi manchada pelo pecado, na sua criação. E o outro: salvar pecadores. Mesmo que ele não salvasse nenhum pecador, ele teria cumprido a sua missão de tirar o pecado do mundo. Ainda que não vejamos o pecado tirado, isso já foi feito! Esta obra já foi executada. Quando você executa uma obra, às vezes leva um tempo para vir à tona os resultados dela; e assim é também com a salvação, com a obra de Cristo neste mundo. Para salvar pecadores, ele teria que morrer. E ele sabia disso. Ele sabia que ia ter que beber um cálice. E que cálice é esse? Na Bíblia geralmente, é cálice de ira, cálice de condenação. Quando o Antigo Testamento falava de uma nação inimiga de Israel, Deus ameaçava: eles vão ter que beber o cálice da minha ira, ou algo assim. O cálice significava não apenas uma morte, mas uma morte terrível, de condenação, de suplício.

E Jesus começou a ter pavor, e a angustiar-se. Em outro evangelho, fala que ele transpirava gotas como de sangue que caíam sobre a terra e veio um anjo consolá-lo. Era demais o seu sofrimento, o seu pavor diante da expectativa do que ele teria que sofrer. Mas o Senhor sofre um pedacinho, assim, aqui, quando vê os seus discípulos dormindo. Aqueles que teriam que estar vigiando junto com ele, estavam dormindo; e eles dormem uma vez e outra vez, eles não aguentavam de sono. E o Senhor tem que repreendê-los, porque não estavam vigiando. Ele fala aos discípulos:

"A minha alma está profundamente triste até a morte; ficai aqui, e vigiai."

E ele diz ao Pai em sua oração, para que se fosse possível passasse dele aquela hora. Tem outra passagem que ele fala: “passa de mim esse cálice”. Pai, tira de mim esse cálice. Mas ele põe uma condição: se fosse possível; pois, ele sabia que não seria. Ora, se fosse possível, nós estaríamos perdidos! Quer dizer: possível era, se ele simplesmente obedecesse aquilo que falavam os zombadores, em torno da cruz, na hora que ele estava sendo crucificado, quando diziam: "Se és o filho de Deus, desça da cruz, que creremos nele”. Mas, se ele descesse da cruz, não haveria mais solução para o homem, de jeito nenhum. Ele fala, então: "Aba Pai, todas as coisas são possíveis; afasta de mim esse cálice. Não seja, porém o que eu quero, mas o que tu queres” e o que ele queria, era sempre condizente com a vontade do Pai. Assim, ele passa pela sua última tentação neste mundo.

A primeira foi quando ele foi levado pelo Espírito Santo ao deserto, para ser tentado pelo diabo; lá no começo do evangelho lemos isso. Ele fica quarenta dias e quarenta noites no deserto, sem comer e beber. E no fim, quando ele está na sua parte mais fraca, humanamente falando, mais débil, mais fraco; vem Satanás, e o tenta para transformar aquelas pedras em pão, para saltar do pináculo do templo. Mostra todos os reinos do mundo e afirma, eu vou te dar tudo isso se você me adorar, olha quanto problema você vai evitar. Mas ele resiste a tudo isso, porque tinha vindo para uma missão e não ia desviar-se dela.

Vamos para outra passagem, agora em Mateus 27:26:

“Então soltou-lhes Barrabás, (Pilatos soltou Barrabás), e, tendo mandado açoitar a Jesus, entregou-o para ser crucificado”.

Aqui foi feita uma eleição democrática. Pilatos estava com medo de se envolver muito, queria lavar as mãos; ele diz para o povo resolver votando. Tinha dois condenados, presos: um era Barrabás, e o outro era Jesus. E ele queria que o povo decidisse e democraticamente, o povo decidiu pela soltura de Barrabás, que era um criminoso, um homicida. O povo decidiu pela crucificação de Jesus! Mal sabendo eles, que por trás disso, tinha um plano muito maior, de Deus.

“E logo os soldados do presidente, conduzindo Jesus à audiência, reuniram junto dele toda a corte. E, despindo-o, o cobriram com uma capa de escarlate; E, tecendo uma coroa de espinhos”.

Isso era de gozação, porque a capa de escarlate era colocada nas costas de um rei, porque como ele afirmava ser rei dos judeus, fizeram a maior zombaria em cima dele.

“E, tecendo uma coroa de espinhos, puseram-lha na cabeça, e em sua mão direita uma cana” Um pedaço de pau, como se fosse uma vara, um cetro real. Tudo de gozação, zombando dele, todos rindo.

“Ajoelhando diante dele, o escarneciam, dizendo: Salve Rei dos judeus!”

Sabe aquela frase muito comum de se ver no Brasil: o senhor sabe com quem está falando? Ele podia falar isso para eles; eles não sabiam, não faziam ideia com quem estavam falando. E continua aqui, dizendo: “E, cuspindo nele, tiraram-lhe a cana, e batiam-lhe com ela na cabeça”.

Tem outra passagem, não sei se é aqui ou em outro evangelho; que eles arrancavam a barba do Senhor Jesus com as mãos. Com isso vem a pele junto, porque ali o objetivo era humilhar e fazê-lo sofrer.

“E, depois de o haverem escarnecido, tiraram-lhe a capa, vestiram-lhe as suas vestes e o levaram para ser crucificado. E, quando saíam, encontraram um homem cireneu, chamado Simão, a quem constrangeram a levar a sua cruz. E, chegando ao lugar chamado Gólgota, que se diz: Lugar da Caveira, deram-lhe a beber vinagre misturado com fel; mas ele, provando-o, não quis beber”.

Eu acredito que isso, era um anestésico para ele não ter tantas dores. Mas ele queria passar por todo sofrimento.

“E, havendo-o crucificado, repartiram as suas vestes, lançando sortes, para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta: Repartiram entre si as minhas vestes, e sobre a minha túnica lançaram sortes. E, assentados, o guardavam ali.

E por cima da sua cabeça puseram escrita a sua acusação: este é Jesus, o rei dos judeus.

E foram crucificados com ele dois salteadores, um à direita, e outro à esquerda.

E os que passavam blasfemavam dele, meneando as cabeças, e dizendo: Tu, que destróis o templo, e em três dias o reedificas, te salva a ti mesmo. Se és Filho de Deus, desce da cruz”.

Eles dizem isso, porque o Senhor falou em uma ocasião: destrua este templo, e eu o edificarei em três dias. Mas na realidade, o templo que Jesus estava falando, era do seu próprio corpo. Eles acharam que era do templo de Jerusalém, de pedra, impossível reedificar em três dias. E continua:

“Confiou em Deus; livre-o agora, se o ama; porque disse: Sou Filho de Deus. E o mesmo lhe lançaram também em rosto os salteadores que com ele estavam crucificados.

E desde a hora sexta houve trevas sobre toda a terra, até a hora nona.

E perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?

E alguns dos que ali estavam ouvindo isto, diziam: Este chama por Elias; e logo um deles, correndo, tomou uma esponja, e embebeu-a em vinagre, e, pondo-a numa cana, dava-lhe de beber.

Os outros, porém, diziam: Deixa, vejamos se Elias vem livrá-lo.

E Jesus, clamando outra vez com grande voz, rendeu o espírito.

E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras; E abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados; E, saindo dos sepulcros, depois da ressurreição dele, entraram na cidade santa, e apareceram a muitos. E o centurião e os que com ele guardavam a Jesus, vendo o terremoto, e as coisas que haviam sucedido, tiveram grande temor, e disseram: Verdadeiramente este era o Filho de Deus.

E estavam ali, olhando de longe, muitas mulheres que tinham seguido Jesus desde a Galiléia, para servi-lo; Entre as quais estavam Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago e de José, e a mãe dos filhos de Zebedeu”.

Depois disso, irão pedir seu corpo para sepultá-lo. Mas o ponto aqui, que eu queria chamar a atenção: existem algumas coisas que estão espalhadas por diferentes evangelhos. Embora cada evangelho esteja contando o que aconteceu com Jesus, cada um toma um aspecto de sua morte para contar. Alguns elementos faltam no evangelho de Mateus, mas tem a mais no evangelho de Lucas, ou de Marcos. Então, cada um trata o assunto de diferentes maneiras. Em Lucas, por exemplo, você encontra que quando Jesus fala "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem", um dos malfeitores que estava jogando injúrias contra o Senhor Jesus – sim, os dois estavam injuriando o Senhor – ao ouvi-lo pedindo ao Pai que perdoasse os seus algozes, esse malfeitor percebe e isso atinge o seu coração como uma seta. E ele fala: "Senhor, lembra de mim, quando entrares em teu reino." Aquele malfeitor se arrepende ali, e reconhece que Jesus é realmente Rei. Jesus responde mais do que ele pede: Ele fala, afirmando àquele homem "hoje, estarás comigo no paraíso." Não é nem no reino, mas no paraíso, no céu!

Mas há um outro elemento, também, que temos que prestar atenção aqui, e são essas trevas. E um detalhe: em nenhum lugar dos quatro evangelhos, Jesus chamou Deus, de Deus. Nunca! Ele sempre se dirigiu a Deus como Pai. Assim ele orava. Nós o vimos no jardim do Getsêmani, orando ao Pai: “Se possível, afasta de mim esse cálice". Ele orava e chamava-o assim, e não de Deus. Mas aqui, ele muda o tratamento; e fala: "Deus meu, Deus meu, por que me abandonastes?” Porque neste momento, Deus não podia ter comunhão com seu próprio filho Jesus. Tinha que abandoná-lo, porque ali, ele estava sendo feito pecado por nós. E Deus não pode ter nenhum contato, nenhuma associação ou comunhão com o pecado. Por isso Deus lhe volta as costas. Deus é luz! Quando Deus vira as costas, o que acontece? Apaga-se a luz; são trevas, agora, e por três horas ele vai experimentá-las. Ele vai experimentar o abandono de Deus; vai experimentar a falta de companhia, que sempre teve, que lhe deu prazer em toda a eternidade. Ele nunca ficou sozinho, sem a companhia de Deus. Nunca, em momento algum!

Mas aqui ele está sem a companhia principal. Lá no jardim de Getsêmani, ele viu que não podia contar com a companhia de seus discípulos, dos homens; porque eles dormiram na hora mais crítica da sua vida. E aqui, ele não pode contar com a companhia de Deus, que o abandona. E é um mistério grande; não podemos penetrar muito nisso, porque na realidade, em momento nenhum, o pai abandonou o filho; mas Deus, a divindade, sim, o abandonou. O pai, não. Vemos pelo tipo, em Abraão e Isaque, que o pai Abraão vai até a consumação, até ao monte, com Isaque, seu filho, e o acompanha até o último momento quando Deus provê um carneiro para morrer no lugar do filho Isaque. Aquilo era uma figura do sacrifício, da morte de Cristo Jesus. Mas aqui, ainda que não vejamos o pai, ele está sozinho, está se sentindo abandonado. E quando ele fala isso, muita gente pode pensar: "Então agora ele sentiu o peso da sua responsabilidade, do seu sofrimento, do que está acontecendo com ele.

Na realidade, é claro que ele estava sentindo tudo isso, mas é claro também, que tudo estava pré-programado, e ele sabia. Tanto que ele está falando aqui: "Deus meu, no versículo 43, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?

Ele está citando um Salmo de Davi. E essa é uma das coisas incríveis da Bíblia. Se você abrir no Salmo 22 de Davi, que fala justamente isso, você vai pensar: "Mas espera aí, Davi sofreu isso?” Não, Davi escreve:

“Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas do meu auxílio e das palavras do meu bramido? Deus meu, eu clamo de dia, e tu não me ouves; de noite, e não tenho sossego. Porém tu és santo, tu que habitas entre os louvores de Israel. Em ti confiaram nossos pais; confiaram, e tu os livraste. A ti clamaram e escaparam; em ti confiaram, e não foram confundidos. Mas eu sou verme, e não homem, opróbrio dos homens e desprezado do povo. Todos os que me veem zombam de mim, estendem os lábios e meneiam a cabeça, dizendo: Confiou no Senhor, que o livre; livre-o, pois nele tem prazer.

Mas tu és o que me tiraste do ventre; fizeste-me confiar, estando aos seios de minha mãe.

Sobre ti fui lançado desde a madre; tu és o meu Deus desde o ventre de minha mãe.

Não te alongues de mim, pois a angústia está perto, e não há quem me ajude.

Muitos touros me cercaram; fortes touros de Basã me rodearam.

Abriram contra mim suas bocas, como um leão que despedaça e que ruge.

Como água me derramei, e todos os meus ossos se desconjuntaram; o meu coração é como cera, derreteu-se no meio das minhas entranhas.

A minha força se secou como um caco, e a língua se me pega ao paladar... (e para aumentar o sofrimento, deram-lhe vinagre para aumentar sua sede! Dar vinagre a uma pessoa que está com sede, aumentará a salivação, mas a boca logo seca e a pessoa fica com mais sede ainda.)... “o meu coração é como cera, derreteu-se no meio das minhas entranhas. A minha força se secou como um caco, e a língua se me pega ao paladar; e me puseste no pó da morte. Pois me rodearam cães; o ajuntamento de malfeitores me cercou... (um de cada lado). Traspassaram-me as mãos e os pés. (Com grandes pregos, pregaram suas mãos e seus pés)...

Poderia contar todos os meus ossos... (Porque não quebraram os ossos dele, ao contrário dos dois outros malfeitores), eles veem e me contemplam. Repartem entre si as minhas vestes, e lançam sortes sobre a minha roupa”. Salmos 22:18

Veja, o salmo é de Davi, e nem em sonho, Davi teve mãos e pés traspassados por pregos! Isso foi escrito mil anos antes de Cristo e se cumpriu literalmente, na sua crucificação com todos os detalhes. Ele estava ali, abandonado por Deus em densas trevas, para morrer por mim e por você. Tem uma canção, em inglês, muito bonita e triste, que fala assim:

“Vão em frente, enfiem os pregos em minhas mãos, riam de mim, no lugar que vocês estão, vão em frente, e digam que eu não sou o que sou; mas virá o dia, quando vocês verão, porque eu vou ressuscitar. E não existe poder sobre a Terra que pode me manter na sepultura. Eu vou ressuscitar; a morte não pode me manter na sepultura. Vão em frente, zombem do meu nome. O meu amor por vocês continua o mesmo. Vão em frente, me enterrem na sepultura, mas muito cedo eu sairei livre; porque eu vou ressuscitar, e não tem um poder sobre a Terra que pode me manter na sepultura. Sim, eu vou ressuscitar. A morte não pode me prender ao chão. Vão em frente, e digam que eu estou morto”.

É belíssimo, Rise Again é o nome do hino. Procure, é muito bonito, não sei se existe uma versão em português. É como se ele estivesse falando assim: OK! Façam tudo que vocês querem fazer comigo, derramem sobre mim todo esse ódio contido; não vai adiantar nada, eu vou ressuscitar. Não existe nada que vai me segurar aqui. E ele passou por tudo isso.

Se você nunca parou para pensar em seu destino eterno, pare agora. Você não lê jornal? Eu até evito ler jornal. Ontem eu abri a página de um na Internet e fiquei escandalizado! Era morte, morte e morte. Agora eles estão pondo a fotografia do morto: este aqui tinha tantos anos. É Covid, Covid, e mais Covid. É morte para todo lado! Será que isso não lhe acordou do seu sono? Que você também vai morrer e prestar contas a Deus de seus pecados. Saiba que enquanto você corre atrás de vacina, de remédios, de tratamentos ou qualquer outra coisa, a sua vida aqui não vai continuar, você vai morrer, porque o ser humano morre. Você já visitou um cemitério daqueles que têm as fotografias do morto? Tem pessoas de todas as idades. Tem um túmulo grande, bonito, o marido e a mulher, velhinhos, enrugados, morreram com quase cem anos. E do lado, há um túmulo pequeno, de um bebezinho que morreu também. Porque todos morrem. E aí? É assim que vai acabar a sua existência? O diabo vai falar para você aproveitar a vida, aqui e agora, já que depois você vira pó e acabou; vai virar esterco e comida de verme. Mas não é isso que Deus quer para você. Cristo veio para nos dar vida; nele está a vida. Quem tem a Cristo tem a vida, quem não tem a Cristo não tem a vida.

– E que vida é essa? Você acabou de falar que eu vou morrer! - Você poderia me dizer. Sim, mas se você tiver a vida eterna que Deus oferece a todos aqueles que creem em Jesus como seu Salvador e Senhor; ainda que você morra, viverá. Viverá eternamente, vai ressuscitar como ele ressuscitou. Ele foi o primeiro, o protótipo de uma nova raça de humanos; a raça da nova criação. E você pode fazer parte dela, hoje mesmo, se simplesmente, aí onde você está, confessar a ele que você é um pecador, reconhecer que está perdido em seus pecados e que nada que você fizer poderá mudar isso, e assim crer nele. Convidá-lo a lhe salvar. Ele está esperando você falar: “Senhor me salve, me salve!”

Eu tinha vinte e três anos, quando depois de passar por um monte de religiões orientais, filosofias e espiritismo e acreditar em tudo que falavam, comprava livros aos montes, e nada daquilo adiantava, escutei o evangelho de um colega da faculdade. Em uma noite eu estava em casa no apartamento que morava no Guarujá, naquela época fazia faculdade de Arquitetura em Santos, e eu não conseguia dormir, estava muito aflito com meu destino. Aquela aflição Deus estava colocando em meu coração. Chegou uma hora em que eu ajoelhei ao lado da cama e disse: Senhor me salve, até aqui, eu vim tentando e não consegui; salve-me, Senhor.

Simples assim! Isso eu fiz quando tinha vinte e três anos e estou hoje com sessenta e seis. De lá para cá, eu tive uma vida com Cristo. E se você me perguntar se correu tudo bem, lhe digo que não, porque a nossa vida neste mundo é cheia de problemas, de sofrimentos, enfermidades e perdas.

Quando vemos que o Senhor Jesus estava desesperado, porque ele perdeu a companhia de Deus, ali, pense nesse sofrimento. Você já perdeu alguém? Alguém já abandonou você? Você já perdeu um filho, uma filha, um pai, uma mãe? Você já foi abandonado por seu cônjuge? Então você sabe que uma das maiores dores que existe, é a do abandono. Não sou só eu que falo isso, qualquer psiquiatra e psicólogo vai falar o mesmo: perder um filho e ser abandonado pelo cônjuge são dores tremendas! Porque ninguém gosta do abandono. Cristo não gostava de estar ali sozinho em trevas. E sabe o que era aquilo? Era o prenúncio do que vai acontecer com os que ainda não creram nele como Salvador. Estarão em trevas eternamente. Eu vi a entrevista de um artista que falou: eu quero ir para o inferno porque meus amigos vão estar todos lá, vai estar tudo legal.

Mas não vai estar todo mundo junto; o lago de fogo é um lugar de trevas para sempre. Trevas exteriores, que significam que dali para frente, você não enxerga nada mais, é solidão absoluta. Não haverá festas no inferno, no lago de fogo, que é a palavra correta de se usar. Sem festas, nem ninguém dançando no meio das chamas; nada disso! Você vai estar em trevas, só com a sua consciência para toda a eternidade, sofrendo. Você queria se livrar de Deus, aqui nesse mundo, não queria? Deus atrapalha você, em suas festas, em sua vida, nas baladas, em tudo que você quer fazer: “Deixa Deus para lá, sai para lá Deus, não me atrapalha, não me incomode.”

Pois é. Ele vai atender o seu pedido, não vai incomodá-lo por toda a eternidade e você vai perceber. Mas há uma solução. Jesus passou em três horas de trevas o que todos os perdidos passarão numa eternidade, mas ele passou por isso para salvar aqueles que creriam nele, aqueles que reconhecessem nele, o cordeiro de Deus que morreu para pagar os pecados dos homens, dos salvos. Morreu para tirar o pecado do mundo, levando sobre si os pecados de muitos, que são todos os salvos por ele. Aí onde você está, se agora mesmo fizer esta opção por Cristo, buscar nele a salvação eterna. E note, eu não estou falando de religião, de entrar para uma igreja, de dar o dízimo. Não estou falando também de prosperidade que Deus lhe promete, lhe dando três carros na garagem. Isso é balela! São os mentirosos que fazem isso, nas rádios, nas TVs, nos templos espalhados pelas cidades. Eu estou falando de salvação eterna, de perdão de todos os seus pecados, até os que você ainda não cometeu, até aqueles que você já se esqueceu; porque Deus conhece todos, nenhum pecado passa despercebido por ele. Ele oferece agora, a companhia eterna do próprio Deus e Pai, para todo o sempre. Você vai jogar isso fora? Você vai ficar aí nesse mundo, cheio de Covid, de morte pelas páginas dos jornais, cheios de propostas e esperanças falsas?

-        Ah, um dia vai passar a pandemia!

Sim, e depois virão outras! O que você pensa que é esse túnel, você vê a luz no fim do túnel? Ou é o trem, ou é a luz do próximo túnel, porque esse mundo é desgraçado; esse é o mundo que caiu em desgraça com o pecado do ser humano. E nada vai solucionar isso, haverá guerra sempre. Veja como está por aí, nunca vai haver paz neste mundo. Os homens rejeitaram aquele que é o criador e dono de todas as coisas. O evangelho de João diz:

"Todas as coisas foram criadas por ele, por Jesus Cristo, e sem ele, nada do que foi feito se fez. Ele era a luz dos homens, mas a luz veio ao mundo e os homens preferiram as trevas. Você prefere as trevas? Muito cuidado, porque Deus pode te dar as trevas eternamente, a falta de companhia, a solidão eterna. Mas ele não quer fazer isso, ele quer que você creia em Jesus, porque na cruz, ele derramou o sangue para salvar você! Ali naquele madeiro, sozinho, abandonado por todos; seus amigos distantes dele e finalmente, abandonado até por Deus, estando em trevas.

Eu lhe peço nesta noite, que você não rejeite este convite. Não é para você crer em mim, mas em Jesus. “Quem ouve a minha palavra”, Jesus disse, “e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna. Não entrará em condenação”, nessas trevas terríveis, “mas passou da morte para a vida”. Se você estiver em algum ponto antes desta frase: "Quem ouve a minha palavra", você está só no "Ouve a palavra", se ainda não passou pelo "Quem crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida”; você tem algumas etapas ainda. Hoje mesmo, não espere mais.

Você já se sentiu abandonado, certo? Agora pense em Jesus, que na cruz foi abandonado por causa de mim e de você, para que você nunca mais, em toda a eternidade, fosse abandonado. Haverá na eternidade um lago de fogo cheio dos que rejeitaram a salvação por graça, porque Deus não está falando para você fazer alguma coisa, não é por obras. A Bíblia fala muito claramente: "Pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.

Não vem das obras, para que ninguém se glorie”.

Jesus não é para ser seu exemplo de vida; e não é também como alguns pregadores, geralmente, calvinistas ou arminianos pregam, que se você crer em Jesus, as boas obras dele vão passar para a sua conta, e então Deus vai ver que a justiça de Cristo foi passada para você, e você será justo; isso é falso, porque se fosse assim, você estaria sendo salvo por obras ainda que as obras fossem de Jesus. Mas não é por obras! Leia novamente: “Pela graça sois salvos; e isto não vem de vós, é dom de Deus, não de obras, para que ninguém se glorie”.

Então esqueça fazer alguma coisa, alguma obra, esqueça tentar melhorar. Não é tentando melhorar que você é salvo; é crendo que Cristo morreu em seu lugar, e levou a pena, a pancada em seu lugar, foi abandonado em seu lugar, para você não sofrer o abandono e no céu, ter depois a companhia dele, de Jesus, o próprio Senhor ressuscitado, e de todos os que já partiram e estão lá, já desfrutando dessa companhia; cantando no céu. Sim, nós todos vamos cantar no céu.

Teve um caso interessante, na Bolívia. Um irmão estava pregando em uma praça, e veio um senhor muito distinto, elogiou a pregação do evangelho, e falou: – Eu gostei muito da sua pregação, achei muito bonita, importante, mas eu não concordei com uma coisa. Isso que você falou, que minhas obras não serão levadas em conta em minha salvação.

E o homem que estava pregando, respondeu: – Então você acha que as suas obras é que irão salvá-lo? 

-        Sim, sem dúvida alguma, as minhas boas obras. Eu sou uma pessoa justa, correta, sou uma pessoa que nunca faço mal a ninguém, cumpro com as minhas obrigações, sou um bom pai e marido...

-        Mas, você vai para o céu por causa disso?

-        Ah, sim, depois de tudo que eu ouvi você falar, eu vou para o céu.

-        E o que você vai fazer no céu?

-        Não sei, o que as pessoas fazem no céu?

-        As pessoas cantam no céu.

-        Ah, é? Então eu vou cantar no céu também.

-        Então vai ter um problema aí! - respondeu o irmão que pregava – Por causa da letra da música. Em Apocalipse 5, vemos pessoas cantando no céu, mas eu vou mostrar para você o problema. Lá está escrito assim: “E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és Senhor, de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homem de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; eles reinarão sobre a terra”. Esta é a letra da canção. E o problema é que  você vai chegar lá e vai cantar: Digno sou, porque fui bom, honesto, fui trabalhador, um bom pai, um bom marido. Sempre busquei as coisas corretas.

Percebeu agora? No céu, todos estarão louvando e exaltando o Cordeiro, pelo que ele é, e pelo que ele fez; e não a si mesmos. Você seria o único a exaltar a si mesmo. Eu tenho uma péssima notícia para você: você não vai entrar no céu enquanto não se reconhecer pecador perdido, o pior de todos; e aceitar a graça de Deus, que não veio salvar justos, não veio salvar os sãos, não veio salvar pessoas boas e religiosas, mas veio salvar pecadores.

É esta a condição para você ser salvo: reconhecer que é pecador e crer em Jesus como seu Salvador, buscando nele a salvação.


Minha vida de náufrago - Mario Persona

https://youtu.be/jegV1Se14-U

Minha vida de náufrago - Mario Persona

Eu estou aqui em minha vida de náufrago ao lado do meu fiel escudeiro Pedro. Para quem não conhece, ele é o meu filho. Pedro entrou para a família em 1986, quando foi adotado. Ele é cego e tem paralisia cerebral, é mudo e tem problema de atrofiamento das pernas e dos pés; e é o meu companheiro. Tão logo eu soube dessa história do coronavírus e da necessidade de se isolar, principalmente velhos caducos como eu, que têm problemas de pressão, coração e outras coisas, eu me isolei e quando o governador do Estado de São Paulo decretou a quarentena, coloquei as minhas funcionárias de férias remuneradas - são duas as que trabalham aqui em casa, e uma delas é de risco. E assim ficamos Pedro e eu, e mais alguma comida congelada que a cozinheira fez. Eu preciso ter duas pessoas me ajudando, pois trabalho como palestrante, viajo muito e sempre quando viajo, uma delas fica para dormir e cuidar do Pedro. E também, eu já sei o que vai acontecer este ano com a minha profissão, ou seja, não vou ter trabalho, as empresas estão demitindo, muitas estão fechando e muita gente estará em uma situação muito pior do que a minha: vão estar na rua com uma mão na frente e outra atrás e vai ser realmente difícil.

O Fugitivo - Mario Persona

 https://youtu.be/M5Zz7n_aIFM

O Fugitivo — Mario Persona

Boa tarde. É um prazer estar aqui para falar do assunto que mais me dá prazer, falar de Cristo Jesus, falar de salvação, de graça, de perdão de pecados, falar do céu e da certeza daqueles que conhecem a salvação, de saírem deste cenário para entrar no cenário celestial e estarem ali, para sempre com Cristo. Esta semana eu vi um vídeo que circulou nas redes sociais, onde duas senhoras da terceira idade, estavam passeando de caiaque no mar na Califórnia e com elas havia várias outras pessoas em caiaques também (um tipo de canoinha para duas pessoas) e elas observavam baleias que estavam por ali, saindo e entrando nas águas tranquilas e sem ondas e que mais pareciam um espelho. 

Por que Freddie Mercury queria ir para o inferno? - Mario Persona

https://youtu.be/HcDKutHQBEY

Eu gostaria de falar sobre um assunto que acho importantíssimo para todos nós, pois diz respeito a nossa vida e nossas metas, o que esperamos realmente e que objetivo buscamos. Eu estava escutando uma entrevista, em um vídeo curtinho no Youtube, daquele cantor Freddie Mercury, da banda Queen. O cara era fantástico! Realmente um artista excepcional. Quando eu citei o que ele disse na entrevista, alguém me perguntou se era pecado escutar as músicas dele. Deus deu talentos às pessoas, cada um tem um talento diferente. Muitas melodias de hinos que cantamos foram compostas por não cristãos. Nós cantamos, por exemplo, num hino, a melodia da Alemanha e do hino nacional da Inglaterra: alguém um dia resolveu colocar uma letra cristã em cima daquelas melodias.

Você tem pai? - Mario Persona

 https://youtu.be/3Jv6COS7qM0

Olá, eu sou Mário Persona e estou aqui com meu uniforme de quarentena - de pijamas - porque não gostaria de deixar passar esta importante data para muitas pessoas. Queria aproveitar o dia em que comemora-se o Dia dos Pais, para começar com uma pergunta: você tem pai? A pergunta parece estranha, mas muita gente não tem pai, ou não o conhece. E um dia como este fica ainda mais triste, uma vez que as pessoas ficam se perguntando quem é seu pai, onde ele está, etc. Outros terão perdido o pai: o meu, por exemplo, partiu daqui para estar com Jesus em 1998; outros conhecem o pai, mas estão brigados. Então, esta data será miserável e triste, a menos que você vá lá e reate a sua amizade, converse com seu pai, ligue para ele. Amanhã você poderá estar na categoria dos que não têm mais pai, que já partiram daqui, e vai remoer isso pelo resto da vida. Então, ligue para ele e tente reatar esse contato.

Quando um vírus tira a nossa paz - Mario Persona



https://youtu.be/UwPAwwuM-ko

Quando um vírus tira a nossa paz
Mario Persona

Boa noite. Eu sou Mario Persona, acho que alguém aí ja deve me conhecer. E assim como está acontecendo em todo o mundo, nós estamos arrumando as coisas para poder atingir as pessoas pelo Evangelho de uma maneira, a la corona vírus. Hoje tudo foi transformado. Está todo mundo em casa sem poder sair, então vamos levar o Evangelho onde as pessoas estão, e não levar as pessoas onde o evangelho está; porque sempre foi assim, o Evangelho é levado até as pessoas, para que elas creiam em Jesus Cristo como Salvador.

Epidemia - Mario Persona



https://youtu.be/e2dah_LGOIg

Epidemia 
Mario Persona

Este hino fala que o evangelho vem nos avisar de um perigo grande e grave:
“A nova do evangelho, ora vem nos avisar, do perigo grande e grave para quem o desprezar; salvai-vos desde já, não vos demoreis a ir, não vireis para trás os olhos, o perigo jaz ali”. Eu estava pensando no assunto que hoje domina toda a mídia e as redes sociais, que é a crise que começou na China. Uma epidemia que já está começando a se tornar em uma pandemia, porque começa a vazar por outros países também. E qual seriam as consequências disso? Nós sabemos que na história do mundo sempre teve grandes epidemias e pandemias; doenças que ceifaram a vida de milhões. Existiu há alguns séculos a peste negra, que era transmitida pelo rato e que exterminou grande parte da população mundial. Acredita-se que de setenta e cinco a duzentos milhões de pessoas tenham morrido. Depois veio a gripe espanhola, a influenza, no fim da primeira guerra mundial em 1918 e que se espalhou pelo mundo. Os soldados que voltavam aos seus países levavam a gripe, por isso ela foi a grande pandemia transportada por meios modernos de comunicação e transporte.

Maria, você sabia? Mario Persona



Maria, você sabia?
Mario Persona

Eu ouvia falar de uma canção cristã e nunca tive a curiosidade de ouvir. Às vezes, eu via o título no Youtube e passava direto pensando que era alguma canção católica de exaltação a Maria, conhecida como nossa senhora. Mas ontem eu decidi escutá-la e que bela música! Tão linda! O julgamento que normalmente faço de uma canção cristã, é a letra, mas esta associou a melodia a uma letra magnífica. O ser humano é formado por corpo, alma e espírito, somos seres tripartidos, assim como Deus é Pai, Filho e Espírito Santo. Nessa divisão, temos diferentes sentimentos, características.

American Pie - Mario Persona



No começo do ano de 1972 com dezessete anos de idade, eu estava morando nos Estados Unidos como estudante de intercâmbio, na casa de uma família americana católica. Na época minha família era católica e o intercâmbio geralmente escolhia famílias da mesma religião. Eu pegava o ônibus escolar para uma escola também católica que ficava em uma cidade vizinha, Joplin. Este ônibus era fornecido pelo padre da pequena cidade que eu morava, Carthage e como era ele quem fornecia o transporte, todos os dias de manhã o ônibus pegava os estudantes em suas casas e depois ia para a igreja católica em Carthage, onde descíamos e assistíamos a uma missa de cerca de vinte minutos, então, voltávamos para o ônibus que nos levava para a escola na outra cidade. Fazia isso seis dias por semana, porque ia também à missa com a família aos domingos.

Viagem à Lua - Mario Persona



https://youtu.be/UYx-Vqyv-cw


Viagem à Lua e além
Mario Persona

Esta semana aconteceram as comemorações dos cinquenta anos do primeiro pouso do homem na Lua: Apolo 11, em julho de 1969. Eu tinha quatorze anos na época e me lembro perfeitamente de tudo o que aconteceu naquele dia. Estávamos, meus pais e eu, voltando de uma viagem ao Rio Grande do Sul, quando conhecemos pela primeira vez o sul do país e um frio de lascar! Meu pai tinha um fusquinha, e vocês sabem que viajar de fusquinha não é fácil e nada tranquilo, não tem aquecimento e nem todo o conforto dos carros modernos. E naquele tempo, os carros eram como carroças. Fizemos essa viagem de carro e foi nele que escutei a transmissão do pouso na Lua  pela rádio, que era de ondas curtas ou médias.